Uma delícia de cãozinho recolhido na rua, maltratado e esfomeado = Viveu connosco entre 3/2002 e 09/2010 ===================== Este blog vai continuar, em homenagem ao Monty mas, agora, com muita saudade, em relação aos cães em geral. Obrigada!

10
Jan 14

publicado por LauraBM às 23:31

24
Dez 13

 

Meu amado cão Monty,

Não julgue que o esqueci só por não ter escrito um poema ou umas linhas sobre a saudade que sinto.

A vida continua cá em baixo, mesmo sem você, melhor ou pior naquela casa que você tão bem conhecia apesar da perda da visão.

É assim e sempre será porque o mundo gira, os segundos voam, os dias passam e, num repente, foram-se 4 anos.

Foram-se os anos mas a saudade ficou, embora mais atenuada. Saiba que isso é normal no ser humano.

Outros animais de estimação também já se foram cá de casa, além de você, amado.

A Daisy sua grande amiga... a Gaby que não conheceu, a gata Kika... enfim.

Agora está a cadelinha Jeka e os gatos Lucy e Lucas.

Mas isso tudo você já sabe porque observa dessa janela lá em cima, onde eu acredito que viva feliz enquanto vela por nós.

Foi apenas conversa, um pretexto para lhe dizer que este lindo cão, peludinho como você, junto com um passarinho, estou enviando para lhe fazerem companhia nesta época natalícia. É só uma prendinha, um aconchego, a mão sobre a sua cabeça num afago que já não pode acontecer directamente.

Um dia voltaremos a ver-nos e ficaremos juntos para sempre.

Fique bem!

Da sua dona saudosa

Laura

publicado por LauraBM às 23:43

09
Jan 12

            Quem convive com cães sabe. De repente, lá pelos 8 meses de idade, o filhotinho brincalhão começa a ficar adulto. Ou seja, a ter atitudes como ser possessivo; brigar com cães sem ser por brincadeira; encarar postes, pés de mesas e outros objetos como pontos do território a serem demarcados com urina; montar em cães, pessoas da casa ou visitas sem a menor cerimônia, entre outras artes.

            O início da puberdade ? que nada mais é do que o começo da produção dos hormônios sexuais ? significa mudanças para sempre no organismo e no comportamento do cão, que podem ser o ponto de partida para problemas de relacionamento com o dono e o desenvolvimento de maus hábitos. Por esse motivo, cada vez mais os comportamentalistas estão optando por recomendar a castração ... de preferência antes dos 8 meses de idade.           

            A ação dos hormônios sexuais dá início a comportamentos que podem continuar mesmo depois da castração, devido ao cão se acostumar a eles.  

            Do ponto de vista veterinário, a castração é o único meio de evitar a reprodução que previne, ao mesmo tempo, tumores no aparelho reprodutivo, muito comuns nos cães com idade madura e mais avançada. O problema resulta de um processo de multiplicação exagerada de células em órgãos do aparelho reprodutor, estimulado pelos hormônios sexuais.    

           No Brasil, há veterinários castrando a partir dos 2 meses de idade, costume mais generalizado nos Estados Unidos. As técnicas cirúrgica e anestésica usadas em nosso país permitem realizar a castração precoce com grande segurança. É o caso da anestesia inalatória:  o cão dorme sedado, inalando um gás anestésico por um tubo ou máscara. A cirurgia é feita rapidamente, com pequenas incisões ? nos machos a operação dura apenas 20 minutos e 40 nas fêmeas, sem precisar de internação.

            Nos Estados Unidos, torna-se cada vez mais comum castrar filhotes com apenas 7 ou 8 semanas de vida, já que a recuperação da cirurgia é mais rápida.

Elimina-se qualquer chance de gravidez precoce, e a tecnologia permite esse avanço.

            Perde adeptos a opção pela castração com cerca de 1 ano de idade, para dar tempo de os hormônios sexuais agirem. Não foram jamais provadas as teorias pelas quais essa estratégia estimularia a hipófise a produzir o hormônio do crescimento, a desenvolver a ossatura e o macho a ganhar massa muscular. Pelo contrário, não é raro ver cães castrados mais desenvolvidos que seus irmãos de ninhada não castrados.

 

CORRIGINDO COMPORTAMENTOS ? A castração ajuda a corrigir comportamentos indesejados, é o que garante um estudo feito em cães machos pelo Veterinary Medical Teachiong Hospital, da Universidade da Califórnia em conjunto com o Small Animal Clinic, da Universidade de Michigan.

 

Bastou a cirurgia ser feita para, em grande parte dos casos, cessar o comportamento indesejado.
- Fugir ? 94% dos casos foram resolvidos, 47% deles rapidamente.
- Montar ? 67% dos casos foram resolvidos, 50% deles rapidamente.
- Demarcar território ? 50% dos casos foram resolvidos, 20% deles rapidamente.
- Agredir outros machos ? 63% dos casos foram resolvidos, 60% deles, rapidamente.

 

Nos cães castrados, a agressividade por defesa territorial ou por medo não foram alteradas.
Alguns cães ficaram mais calmos e mais carinhosos, mantendo maior proximidade física com os donos, e deixando de encarar qualquer movimento como provocação.

 

CASTRAÇÃO  PRECOCE  OU  NÃO?
A comparação é feita tendo como base os cães não castrados.

 

IDÉIAS  ERRADAS
?Cão castrado é mais propenso a problemas de saúde.?
FALSO: a probabilidade de pegar doenças não aumenta com a castração. Antes pelo contrário: a retirada de útero e dos ovários, ou testículos, acaba com a possibilidade de infecções e tumores nesses órgãos, e de complicações ligadas à gravidez e ao parto. Sem acasalamentos, as doenças sexualmente transmissíveis deixam de representar risco. Cai a incidência de tumores da mama.

 

?Acasalar deixa o macho emocionalmente mais estável.?
FALSO: dependendo das disputas, o acasalamento pode até causar instabilidade emocional.

 

?A falta de prática sexual causa sofrimento.?
FALSO: o que leva o cão à iniciativa de acasalar e exclusivamente o instinto de procriar, e não o prazer nem a necessidade afetiva. O sofrimento pode atingir machos não castrados se vivem com fêmeas e não podem cruzar: ficam mais agitados, agressivos, não comem e perdem peso.

 

?Castrar reduz a agressividade do cão de guarda.?
FALSO: a agressividade necessária para a guarda é determinada pelos instintos territorial e de caça e pelo treinamento, sem ser alterada pela castração.

DIVULGAÇÃO
www.gatoverde.com.br
em Defesa dos Direitos Animais

publicado por LauraBM às 00:10

21
Dez 11

Junte os presentes, as caixas, o papel de embrulho etc. no meio do chão na sala.

Pegue a fita adesiva do filhote.

Tire a tesoura da boca do cachorro mais velho. 

Abra a caixa.
 
Tire o filhote da caixa.

Tire a fita adesiva da boca do cachorro mais velho.
Tire a tesoura do filhote. 

Coloque o presente na caixa.

Tire o presente da boca do filhote.
Coloque-o de volta na caixa depois de tirar o filhote de dentro dela. 

Tire a tesoura do cachorro mais velho e sente em cima dela.

Tire o filhote da caixa e coloque a tampa.

Tire a fita adesiva do cachorro mais velho.
Desenrole o papel de embrulho.

Tire o filhote DE CIMA da caixa.

Corte o papel, com cuidado para não cortar o pé ou o focinho do filhote, que fica no caminho enquanto o danadinho tenta "ajudar".

Deixe o filhote rasgar o resto do papel.

Tire o filhote de cima da caixa.
 
Embrulhe a caixa com o papel.

Tire o filhote da caixa e o papel de embrulho da boca dele.

Jogue a fita adesiva para o cachorro mais velho buscar para ele parar de roubá-la.

Tire a tesoura do filhote.

Pegue a fita adesiva que está com o cachorro mais velho.

Cole um pedaço rapidamente no embrulho antes de tirar a tesoura do cachorro mais velho e sentar novamente em cima dela.

Afaste o filhote que está tentando roubar a fita adesiva e cole outro pedaço no embrulho.

Pegue o laço do cachorro mais velho.
Corra atrás do filhote para pegar o rolo de papel de embrulho.

Tire a tesoura do cachorro mais velho, que a pegou quando você levantou.

Dê a caneta para o cachorro mais velho parar de lamber a sua cara.

Tire o filhote de cima do presente e, rapidamente, coloque um pedaço de fita adesiva para prender o papel.

 

Pegue o laço, já babado, do filhote e cole-o com fita adesiva, já que a parte autocolante perdeu toda a cola.

Tire a caneta do cachorro mais velho, coloque o nome na etiqueta e cole-a no presente enquanto o filhote tenta comer a caneta.

Pegue o presente antes que o filhote o abra e guarde.

Limpe a bagunça que os cães fizeram brincando de cabo-de-guerra com o que sobrou do papel de embrulho.

Guarde o que sobrou do material e diga aos cães o quanto eles ajudaram.

Que barra...não ?

-----------------------------------------------------------------------------------

15/11/2004

Sara Rafael (Lisboa)
http://geocities.yahoo.com.br/jerusalem_13/sararafael.html

publicado por LauraBM às 23:20

02
Dez 11

Ela ainda acha que o cãozinho é que adoptou a dona, e não o contrário.

publicado por LauraBM às 23:15

15
Nov 11

Um cão velho e com olhar cansado estava andando pela rua e entrou em meu jardim. Eu pude ver, pela coleira e seu pêlo brilhante, que ele era bem alimentado e bem cuidado.

 

Ele andou calmamente até mim e eu dei-lhe umas festas. Então ele me seguiu e entrou em minha casa. Passou pela sala, entrou no corredor, deitou-se em um cantinho e dormiu.
Uma hora depois ele foi para a porta e eu o deixei sair.
No dia seguinte ele voltou, fez "festinha" para mim no jardim, entrou em minha casa e novamente dormiu por uma hora no cantinho do corredor. Isso se repetiu por várias semanas.
Curioso, coloquei um bilhete em sua coleira: "Gostaria de saber quem é o dono deste lindo e amável cachorro, e perguntar se você sabe que ele vem até a minha casa todas as tardes para tirar uma soneca."
No dia seguinte ele chegou para sua habitual soneca, com um outro bilhete na coleira: "Ele mora numa casa com 6 crianças, 2 das quais têm menos de 4 anos - provavelmente ele está tentando descansar um pouco. Posso ir com ele amanhã???"
publicado por LauraBM às 23:28

15
Out 11

O seu cão é daqueles que puxa na coleira o tempo todo, e quase te arrasta pelas ruas?

Parece que é ele que está te levando para passear?

Quando for passear siga esses passos:

1. Você deve usar uma coleira desta mais comum de couro ou nylon. Eu não recomendo enforcadores nem aquelas coleiras com os pinos que apertam o comportamento de puxar e só provocam dor no animal. Também não recomendo coleiras peitorais. Elas incentivam mais ainda a puxar, por exercer a pressão sobre o peito do cachorro.

É assim que cães que puxam cargas ou trenós são amarrados.

2. Antes de sair para passear com seu cachorro, brinque com ele no quintal ou dentro de casa mesmo. Jogue uma bolinha de tênis para ele ir buscar para você, ou qualquer outra atividade física intensa. Assim você dá uma canseira nele e quando vocês forem sair ele vai estar um pouco menos agitado. Dependendo da agitação do seu cachorro, você deve dar uma canseira de até uns 30 minutos nele. Tente fazer deste momento, um momento de se divertir com ele, de fazer uma boa farra e fortalecer a amizade entre vocês.

3. Um erro que cometemos com muita frequência é deixar o cachorro super excitado na hora que ele vê a coleira. Muita gente começa a dizer “Vamos passear, Chico.

Vamos, vamos, vamos passear” excitando o cachorro e ele fica super excitado pulando para todo lado e só vai ficar mais difícil de contê-lo quando você estiver na rua.

Então vamos tentar fazer essa hora de sair um momento tranquilo, você coloca a coleira e a guia no seu cachorro dentro de casa ou no seu quintal e deixe ele solto um pouco com a coleira, por exemplo enquanto vocês ainda estão brincando de bolinha. Assim ele se acostuma a ficar com a guia em casa e não vai ficar super excitado toda vez que você mostrar a guia para ele.

4. Ofereça uma água a ele antes de sair e, se possível, também durante o passeio.

5. Procure um lugar sem muitas distrações para este exercício. Se a sua rua for muito movimentada, com pessoas e outros cachorros passando vai ser mais difícil para ele se concentrar. Neste caso leve ele de carro a algum lugar mais tranquilo para estas primeiras aulas. Vai ser muito mais fácil desta maneira.

6. O exercício é muito simples. O seu objetivo é que seu cachorro passeie ao seu lado, acompanhando você sem puxar a coleira. Ou seja, a coleira deve estar frouxa o tempo todo e não esticada pois ele está puxando. Escolha um lado e saia passeando, digamos para a direita. Assim que ele começar a puxar, você dá meia volta e muda de direção, indo para a esquerda. Agora ele está atrás de você, ajuste seu passo para que vocês dois caminhem lado a lado. Provavelmente ele vai começar a puxar de novo. Você vira-se de novo e volta a andar para a direita. E assim por diante.

7. Enquanto ele estiver andando ao seu lado sem puxar a coleira (com a coleira frouxa), elogie-o e dê-lhe algum petisco. Continue caminhando e elogiando enquanto ele não puxar.

8. Você está mostrando ao seu cão que puxar não vai levá-lo aonde ele quer. Toda vez que ele puxa querendo ir para a direita, você vira para a esquerda e vice-versa.

Com o tempo ele vai aprender que caminhar ao seu lado sem puxar é o que vai fazer todos felizes.

Boa sorte e bons passeios!

publicado por LauraBM às 00:03

12
Out 11

A ternura deles é inigualável!

publicado por LauraBM às 00:45

16
Set 11

publicado por LauraBM às 00:34

01
Ago 11

Golden Retriever:
Faz sol lá fora, o dia está a começar, temos a vida inteira pela frente e tu estás aí dentro preocupado com uma parva de uma lâmpada queimada?

 

Border Collie:
Só um. E depois substituo os fios eléctricos todos que não estão em condições.
 
Dachshund:
Como sabes que eu consigo chegar à parva da lâmpada?
 
Rottweiller: 
Atreve-te!

Boxeur:
Eu preocupado com isso? Eu consigo brincar com os meus brinquedos de borracha no escuro.

Labrador:
Eu! Eu!!! Pleaseee! Deixa-me mudar a lâmpada. Posso? Huh? Huh? Huh? Posso? Pliiiize, please, please, please!
 
Pastor Alemão:
Eu mudo a lâmpada assim que orientar estas pessoas que estão às escuras, verificar que não me esqueci de nenhuma e depois de patrulhar a área a ver se ninguém se aproveitou desta situação.
 
Terrier:
Vou lá dar um salto enquanto me penduro nos móveis e nas paredes.

Pastor Inglês:
Lâmpada? Não vejo lâmpada nenhuma.

Cocker Spaniel:
Mudar a lâmpada? Pra quê? Eu consigo fazer xixi na carpete às escuras.
 
Chihuahua:
Jô kiero taco dê lâmpada! Não precisamos de lâmpada fedorenta nenhuma!
 
Greyhound:
A lâmpada nem se mexe. Não tou preocupado com ela.

Pastor Australiano:
Epá, primeiro ponho as lâmpadas todas numa rodinha...

Poodle:
Vou só dar cabo dos ouvidos do Collie e que se lixe o resto. Quando ele acabar com a instalação eléctrica da casa já tenho as minhas unhas secas.

Quantos gatos são necessários para mudar uma lâmpada?
 
Gatos não mudam lâmpadas. As pessoas é que mudam as lâmpadas.
Portanto, a questão é a seguinte:
  
 
"Daqui a quanto tempo é que eu tenho alguma luz, alguma coisa para jantar
e uma massagem?"

Tudo isto prova, mais uma vez, que enquanto os cães têm donos, os gatos têm empregados!
publicado por LauraBM às 22:22

12
Jun 11

Este é o filhote de Pastor Alemão que temos em casa.

Tem sido um cachorrinho muito feliz.
Já sabe que Shepp é ele, já atende quando chamamos, e faz arte o tempo todo em que está acordado, mas como ainda é um bebê, sua pilha não dura muito, então ele dorme... depois começa tudo de novo!!!
Uma graça! kkkkkkkkkkkk
Margaret
Tem tanto de gracioso como de patusco. Mas não se iludam porque já está trepando pela Nina, coitada.
publicado por LauraBM às 23:07

10
Jun 11

Mimo era um cachorrinho abandonado, que foi sobrevivendo num estacionamento, alimentando-se de insectos.

Devia ter sido muito espancado, pois tinha horror às pessoas e rosnava feio para quem se aproximasse.

Minha amiga Margaret, não obstante a voz meiga e as comidinhas que levava, gastou um mês inteiro para conquistá-lo.

Por fim conseguiu carregá-lo para casa, magrinho e muito abatido.

 

Quando estive em Presidente Prudente, na casa de Margaret e Lenine, já encontrei o cachorro gordinho, manso e carinhoso, atarantado sem saber se fazia sala pra mim ou acompanhava os donos.
Seu olhar, entre espantado e humilde, parecia dizer: "Juro que eu não sabia que existia gente boa neste mundo!" 
 -----------

8/10/2006

Ana Suzuki

publicado por LauraBM às 22:22

10
Mai 11

Hummm...

 

Não fizeste boa coisa, pois não??????

publicado por LauraBM às 21:58

10
Abr 11

A dona anda sempre a fazer-me penteados novos.

 

Desta vez estou de franja...

 

Coitada, ela diverte-se e eu deixo!  

 

Fazer o quê?

 

béu béu

publicado por LauraBM às 22:00

30
Mar 11

 

Não compreende o cão abandonado

porque razão ninguém lhe dá abrigo

porque ser cão é isto: é ser amigo,

e então? por que razão é desprezado?

 

O olhar do cão sem dono é qual mendigo

não que ele peça algo, é esperançado

em demonstrar-nos ser habilitado

a ser útil: livrar-nos do castigo

 

de viver só, sem ter a companhia

de um amigo de toda ocasião

que além de companhia, é protecção;

 

quer seja à noite, ou seja o tempo inteiro

a distinção de um cão é ser fiel

e um cão bem desempenha este papel.

----------------------------

Diógenes Pereira de Araújo

diogenes@poemanet.com

publicado por LauraBM às 21:43

10
Fev 11

Se eu falasse, diria:

Ai, com o é bom dormir no colo das donas!

publicado por LauraBM às 21:35

10
Jan 11
Castração é um ato de amor!
Não castrar gera o abandono e a superpopulação de animais nas ruas!
Muitos são vítimas de maus tratos, outros morrem por atropelamento, mutilações, doenças, crueldade e diversas barbáries que você nem imagina, histórias que não terão um final feliz!
 
Não queremos a extinção dos animais!
Com a castração esperamos um controle de natalidade, onde evitaria centenas de animais abandonados e sofrendo nas rua e mais centenas de animais que são sacrificados diariamente nos CCZ.
 
A Castração é um benefício para o animal, além do que já citamos, ela evita doenças como a piometra, infecção do útero e ovário que pode levar a
óbito, doenças hormonais, entre outras.
Nos machos e fêmeas diminui a incidência de brigas e nos felinos reduz em 70% o cheiro da urina que por vezes pode ser desagradável.
 
http://www.patinhasonline.com.br/
publicado por LauraBM às 21:29

25
Dez 10

 

Algures no céu, a celebrar o Natal de 2010 que já não passou entre nós, encontra-se o meu amado cão Monty.

Cuide de mim e faça-me companhia mais uma vez, nesta noite tão especial.

publicado por LauraBM às 19:58

15
Nov 10

 

(última fotografia do Monty – deixou-nos em 22/09/2010)

 

É sempre triste a separação dos amigos,

ainda mais se forem anos de convívio.

A dor da ausência ao reviver tempos antigos,

não deixa nas recordações alívio.

 

Foi-se o meu lindo cão, acarinhado.

Perdi-o numa tarde de tristeza.

O cão Monty, reguila, está parado!

Nas minhas mãos só um vazio que me pesa.

 

Coisas que faltam e ficam por dizer

neste soneto, já por demais sofrido,

é a saudade a chorar quase sem querer,

 

um grande amor da minha vida excluído.

Só um poeta é capaz de avaliar

como se escreve de coração a sangrar.

-------------------------------

25/10/2010

Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 21:55

13
Nov 10

Considerações sobre o meu cão Monty!
 
Hoje encontrei o meu cão Monty! 22/05/2002!
Trouxe-o da rua onde parecia perdido e só.
Muito maltratado, com carraças e praganas no pêlo sujo e enriçado; estava um dó de alma, cheio de fome e sede.
Acho que tinha esgotado a capacidade de lutar pela vida.
 
Hoje, perdi o meu cão Monty! 22/09/2010!
Pedi ao veterinário que o adormecesse para sempre. Ele concordou devido ao estado do cãozinho, e já cego há 2 anos.
Mas............ Que direito temos? Decretar o fim duma vida? Devemos deixar que continue o sofrimento e a vida se desenrole naturalmente até ao fim?
Não sei, mas não me sinto culpada! Amava-o demais!

 

Já teve um animal de companhia velho e doente?
Já teve um animal de companhia muito doente embora não fosse velho?
Fica adiando a hora de o adormecer?
Quando acha que chegou a hora dele?
Deixa que sofra dores só para o ter consigo mais um tempo?
Deixa que sofra tratamentos dolorosos sempre achando que vale a pena?
E se o veterinário lhe disser que não vai melhorar, só atenua?
Mesmo assim não tem coragem?
Prefere deixá-lo em sofrimento por egoísmo seu?
Nunca viu implícito nos olhos deles o pedido mudo para os deixar partir?

 

Então não sabe o que é amar um animal de companhia.
Pelo imenso amor que lhes dedico, não desejo que sofram.

--------------------
Laura B. Martins
http://comentecomigo-porfavor.blogspot.com/   

publicado por LauraBM às 22:26

10
Nov 10

Uma mensagem dirigida aos meus amigos da Internet:

 

DIA DE CÃO!

 

 

É, meus amigos, melhor dizendo: Dia de Ficar Sem cão! Hoje fiquei sem o Monty – 22/09/2010! Fez hoje precisamente 8 anos e 4 meses que vivia connosco; desde 22/05/2002.

Foi adormecido às 4 e meia da tarde. Não dava mais para ver a desorientação do bichinho durante as manhãs.

Ele andava sem destino durante uma hora ou duas, corria a casa toda e o quintal, sem destino e sem parar, a arfar.

O coração estava cansado e fraco. Sempre dissemos, e os veterinários também, que ele não teria uma longa vida por andar sempre a correr nervosamente dum lado para o outro, ele não parava quieto. Só se aquietou após a perda da visão.

  

Mais uma vez fiquei com um animalzinho no colo, abraçado a mim enquanto era adormecido e exalava o último suspiro.

O veterinário não quer,  nunca quer, e diz ser muito violento; mas eu insisto e fico sempre com eles até depois do último instante, quando resta  apenas um invólucro sem alma, sem vida, um corpinho lindo que tanto amei e que me amava acima de tudo e de todos.

Perdi o meu amigo, a minha sombra, a minha mantinha peluda! Sempre atrás de mim ou à minha procura, incansável. Mesmo sem o poder da visão, pelo olfacto ele me encontrava onde quer que eu estivesse, em casa ou no jardim e ali se deitava.

 

De raiva, cheguei a casa e cortei uma trepadeira enorme quase toda. Ela precisava de ser desbastada, como já foi uma vez, mas hoje foi mesmo para pôr o corpo a funcionar em grande. Cortei, serrei troncos da grossura do meu pulso e depois caí para o lado. Adormeci um pouco e escrevi. Lembro-me de ter saído do veterinário com a sensação duma necessidade premente de gritar. Em vez disso, deixei que as lágrimas corressem em silêncio.

Só hoje me dei conta de quanta verdade existe naqueles filmes em que alguém pára debaixo duma ponte ferroviária, espera que o comboio passe e grita a plenos pulmões. Outros, cavam a terra e outros ainda, tal como eu, serram lenha ou cortam árvores.

Afinal, o que é preciso é cansar o corpo e expelir a dor junto com a raiva.

 

Desculpem esta mensagem, mas é o resto do desabafo, os últimos laivos de dor.

O meu lindo cão já não existe mais a não ser na minha lembrança, nos poemas que lhe escrevi, nas muitas fotografias nos álbuns, no meu computador, e no seu blog  http://blogdocaomonty.blogs.sapo.pt infelizmente migrado há pouco tempo e ainda a precisar de muito trabalho e  actualizações.

Mais tarde escreverei um último poema para ele, em sua homenagem. Ele merece!!!!!!!

 

A vida manda e nós obedecemos, quer queiramos quer não... O destino é implacável e o tempo igualmente!

 

Adeus meu amigo, lindo amigo! Sê feliz onde quer que estejas.

Desejo-te um lindo jardim cheio de flores perfumadas, muitas árvores e um cantinho com sol.

Levemente, a minha mão poisará na tua cabecinha para dormires em paz, tal como hoje.

Um abraço para todos

Laura B. Martins
http://almasdemulheres.blogs.sapo.pt

publicado por LauraBM às 23:10

05
Nov 10
Quantos amigos tenho que, sobre a minha perda do cão Monty, nem uma palavra de consolo me enviaram!...
Quero crer que não foi por serem insensíveis, claro que não!
Quero crer que foi, isso sim, por ficarem sem palavras, secos.
Há pessoa assim, sabiam?
Há pessoas que não sabem o que dizer nem tentam inventar. Fogem!
Há pessoas que acham que quanto mais falarem no assunto mais os outros se lembram e sofrem; então, nada dizem.
Pois é, claro que eles me amam... pois se são meus amigos... claro que sim!
Mas nós também ficamos secos quando isto acontece, não é verdade?
Pois... Ficamos até a pensar que não vale a pena chamá-los de amigos!
Não, isso não! Eu não ficaria feliz sem os meus amigos.
Então, prefiro esquecer «este pormenor sem importância» e continuar na crença que tenho muitos amigos. MUITOS!
Abençoado seja o coração humano que tal capacidade tem para enfrentar a desventura, os desgostos e continuar a acreditar!
Ou será continuar a enganar-se????????
----------------
Laura B. Martins
publicado por LauraBM às 01:07

12
Out 10

hehehehehe.... Que divertido!!!!

publicado por LauraBM às 00:41

10
Out 10

A vida nos prega peças tristes...a morte sempre nos machuca, embora saibamos e entendamos de continuidade, não aceitamos partilhar o nossos amigos e parentes, nisso se inclue o seu cãozinho , parece que falta algo , parece que se foi um pedaço de nós,e de certa maneira, foi mesmo. Sinto muito pela sua dor..e te dizer que estou aqui, se precisar é só gritar...estarei conversando e até teclando contigo.

bjs

mavi lamas

 

Muito obrigada, amiga, vou descansar ou fazer por isso.

É o 4º bichinho que perco para a dor do adormecimento: 2 cães, um gato e uma gata.

Bem sei quanto custa.

Pergunto-me porque não morrem os meus animais de morte natural?...

Talvez eu os ame demasiado e não queira vê-los sofrer.

Talvez eles me amem demasiado, queiram dar-me tempo para a despedida e, por isso mesmo, não morram repentinamente.

Mas a gente não se habitua nuuuuuunca!

Amanhã é outro dia, as lembranças vão ser piores, a saudade vai apertar mas... 6ª feira chega um gatinho, o Lucas!

Mais um abandonado de quem a minha filha tomou conta e vem para cá.

Retornaram à Madeira a cadela labradora Lara e o gato Lucky, para junto da dona.

Ficam a cadelinha Jeka, a pastora alemã Daisy, a gata Lucy e aguardamos o gato Lucas.

Vou dormir e tentar secar este vale de lágrimas e soluços.

Na minha memória ficará o seu carinho, Mavi.

Bjs, amiguinha

Laura B. Martins

 

==================================

 

Tu és mesmo uma brava mulher! Eu não aguento ver isso, nem por hipótese!

Que dizer, minha amiga, senão que entendo completamente teu momento?

Que pena!

Beijos,

Sylvia cohin

 

Minha amiga, se ele viveu comigo tantos anos, 12, se estava cego e mal eu lhe segurava na coleira ele confiava e deixava de apalpar os caminhos, não seria agora no fim que eu iria defraudá-lo e não estar presente no final, para o amparar na passagem para o outro lado.

Foi acompanhado e guiado pelas minhas mãos, ao meu colo e bem junto do meu coração, enquanto lhe falava baixinho (embora ele estivesse meio surdo). Foi junto de mim, com a ternura de quem ele mais amava neste mundo que exalou o último suspiro.

Sempre o veterinário se admira, me diz que é demasiado doloroso e pede para eu os deixar lá ficar e vir embora: sempre recusei e quase me ofendo com tal hipótese.

Não se deixam assim, sozinhos, abandonados, estes seres maravilhosos que foram a nossa companhia e nos amaram sem exigir algo em troca.

Mas ai, como dói!!!!!!!! Como é difícil deixar que os levem do nosso peito para nunca mais os vermos!...

 

Amanhã chega o gato Lucas e vou buscá-lo ao aeroporto. Vem com uma pata magoada e não se sabe o que é, talvez um espinho, sei lá.

Vai directo para o veterinário o ver e medicar.

Pronto, amiga, aqui estão as novidades e a minha gratidão pelas tuas palavras.

Bjs

Laura

 

===========================================

 

Laura querida,

Você já deve estar sabendo que na mesma situação está a Margaret do Lenine.
Conheci o gato, o Mishi. Era gato de uma dona só, olhava pra mim com o maior desprezo, ao contrário dos outros bichanos, que corriam para a minha cama.
Michi dormia com a Margaret, isto por 16 anos.
Então acho que Tadao tem razão, seres vivos, sejam gente ou bicho, trazem alegria mas, se morrem antes da gente, há que se pagar um preço muito alto pela alegria que nos foi proporcionada.

É o preço.
Sinto muito, por você e pela Margaret. Não vou dizer palavras de consolo, é cedo demais pra isso. Apenas, que sinto muito.
 

 

Eu sei o que estou perdendo, mas na minha idade, no meu estado de saúde, não dá mais, a não ser que seja a contragosto.

Ana suzuki

 

Não tenha dúvida, Anica!

É muito amor, muita alegria, muitas gracinhas, muita doçura... mas também é muito trabalho, preocupação, cansaço e desgostos.

Então quando há azares como eu tive com a gatinha Kika, é um drama tremendo.

Há quem não consiga passar sem eles, eu sou uma dessas pessoas.

Se vc consegue e não se sente já capacitada, e também após tantos anos sem eles, não vai ser agora que vai meter-se em trabalhos.

O que há também são pessoas que parecem atrair animais, como é o caso da Margaret. Essas pessoas não podem fugir-lhes, deve ser um condão.

Há muita gente que não os quer porque temem sofrimentos, mas amor traz sofrimento.

Não há como separar amor de dor.

Bjs

Laura

 

============================================

 

Laura querida, você nem faz ideia do quanto compreendo o que você está passando...

Chorei muito ao ler seu desabafo, aliás não tenho feito muita coisa além de chorar, nesta última semana que passou...

Muita dor no coração apesar de ter consciência de ter tomado a decisão mais correcta, e mais humana!!!

Tive que fazer a mesma coisa com meu gato Mishy... companheiro de 16 anos e meio... no dia 17/09

Todos os bichinhos são especiais, mas o Mishy tinha o espírito mais desenvolvido, compreendia tudo o que eu falava, detestava sujeira, fazia com que eu trocasse os lençóis, cobertores dele com maior frequência do que os outros, dormia no meu braço... friorento feito o Lenine, meu segundo despertador.

Ele esperava meu despertador tocar, depois me chamava.

Muita tristeza, Laura querida, compartilho da sua dor...

Margaret

 

É assim a vida, minha amiga Margaret!

Amor também traz muita dor.

É compreender a necessidade de tal atitude por amor ao bichinho, tomar a decisão e levá-los ao veterinário sabendo ao que vão.

Fica parecendo o caminho da guilhotina. Julga que não pensei isso mesmo?

É ter a coragem de ficar com eles no colo enquanto exalam o último suspiro. É uma dor funda, surda, premente. Os soluços que nos estremecem mas ninguém ouve...

Toda a imensa dor de nos apartarmos deles, soltá-los e deixá-los ir, já sem vida... 

Mas ai, como dói!!!!!!!! Como é difícil deixar que os levem do nosso peito para nunca mais os vermos!...

 

Mesmo sabendo que lhes poupámos muito sofrimento, fica uma estranha sensação de dúvida sobre termos feito o mais acertado.

Que direito temos de decidir ceifar uma vida????? Quem nos deu o poder sobre a vida ou a morte?

 

Tenta ficar em paz, minha amiga, e anima o Lenine. Juntos vão ultrapassar mais este transe. Têm outras alminhas a precisarem dos dois donos.

 

Se quiseres, utiliza o meu blog do Kimba ou outro qualquer  para uma última homenagem ao Mishy.

 

Bjs

Laura

 

==========================================

 

Laura querida, não imaginas o quanto agradeço sua oferta. Agradeço principalmente a compreensão.

Acho que tenho tendência (ninguém sabe) depressiva controlada, ainda não consigo falar sobre o Mishy, tenho a sensação de que ele está alí, que vou chegar em casa e ele estará me esperando no portão... essas coisas...

Não consigo nem escrever sem chorar, mas continuo a trabalhar normalmente, na emprêsa e em casa.

Sei que a dor vai passar, mas a saudade vai aumentar e vou chorar todas as vezes que eu falar sobre ele, assim como choro por todos os seres vivos que já perdi...

Sou assim... que remédio...

Margareth

 

Eu estou a passar mais ou menos bem de tão entretida com um novo amor de gatinho, o Lucas.

Foi castrado, depois apanhou uma enorme constipação e assim tenho andado entre casa e veterinário, fechada com ele no quartinho da cave.

Tira colar, põe colar, toma conta da comida, toma conta para integrar com os outros bem devagarinho, etc.

É muito bom porque ajuda bastante.

E como ele é um docinho de meiguice, come muito bem e é muito sossegado, foi óptimo.

 

Sempre aconselhei a quem tem só um que o melhor é, rapidamente, achar um novo companheiro. Resulta sempre!

No seu caso, tendo tantos, não sei como colmatar a dor... mas vai passar e ficar guardada lá bem fundo.

Tem que distribuir tanto amor por tantos... E todos precisam de si, incluindo o Lenine!

Beijos e carinhos, minha amiga de infortúnio e, ao mesmo tempo, de alegrias que ainda podemos proporcionar.

Sua amiga

Laura

 

========================================

 

LAURA! ISSO É TERRÍVEL... PARA A "MAMÃE" HUMANA DO CÃOZINHO!

O SEU MONTY ERA BEM PARECIDO COM O MEU BIDU...

------------------

JANICE

 

É, amiga, põe terrível nisso!

É horroroso e dum sofrimento atroz, mas eu aguento ali firme, com eles nos braços, junto ao peito, até exalarem o último suspiro.

Só depois disso os deixo ir.

Assim, sei que fica mais fácil atravessarem deste mundo para o outro lado, com a voz e a mão da dona a conduzir... não vão perder-se nalgum Limbo e não chegarem ao céu.

Bjs

Laura

 

===================================

 

Olá Laura

Que a recordação dos bons momentos com seu cãozinho, sejam alento para a sua dor.

Como eu compreendo essa dor, quando também o meu carinhoso gatinho Picaxu teve de adormecer, depois de ter muito sofrimento.

Ainda hoje ao almoço falámos dele, como era amoroso quando olhava para nós e quando pressentia que íamos sair ficava tristinho e escondia-se atrás do sofá da sala, que ficava fechada e ele queria lá ficar.

Um abraço amiga e força ,lá no céu dos animaizinhos, eles os nossos queridos, já se conheceram e estarão felizes a brincar.

Um bj

Marizé

 

Muito obrigada, minha amiga Marizé!

São transes muito difíceis de passar.

A vida não se compadece destes dramas de cada um de nós e segue em frente, mas a gente nunca esquece os companheiros amados.

 

Amanhã chega o gato Lucas e vou buscá-lo ao aeroporto. Vem com uma pata magoada e não se sabe o que é, talvez um espinho, sei lá.

Vai directo para o veterinário o ver e medicar.

Já vai dar que fazer e obrigar a não pensar no querido Monty. Foram muitos anos e ele era a minha sombra, sempre atrás de mim.

Mesmo sem ver, pelo faro me procurava e lá aparecia junto de mim, estivesse eu onde estivesse, de repente lá estava ele deitado junto.

Vou parar de escrever porque as lágrimas já ameaçam, e os olhos estão uns trambolhos.

Obrigada pelo carinho

Bjs

Laura

 

==================================

 

Estou a chorar, como vocês dizem... e não estou chorando...como aqui falamos.

Consola saber que o Monty, como o meu Juquinha, tiveram uma boa vida, carinho, casa, comida e tudo que muitos humanos não têm...

Que ele fique em paz onde estiver... Irá se encontrar com o meu Juca...

bjs de sua amiga regin@

 

=========================================

 

Do meu amigo Ivo Lourenço, dos Açores, veio um consolo em forma de desespero, não só pelo meu cãozinho, como pelo cãozinho dele que está muito envelhecido e se teme o desfecho.

 

=====================================

 

E, por último, da minha amiga brasileira Jacqueline, que disse tanto, mas tanto, que o consolo dela nem caberia aqui no blog. Obrigada, minha amiga!

Obrigada, meus amigos!

-------------------------------

Laura

publicado por LauraBM às 02:59

22
Set 10
O meu cão Monty!
 
Hoje encontrei o meu cão Monty! 22/05/2002!
Trouxe-o da rua onde parecia perdido e só.
Muito maltratado, com carraças e praganas no pêlo sujo e enriçado; estava
um dó de alma, cheio de fome e sede.
Acho que tinha esgotado a capacidade de lutar pela vida.
 
Hoje, perdi o meu cão! 22/09/2010!
Pedi ao veterinário que o adormecesse para sempre. Ele concordou devido ao
estado do cãozinho, e já cego há 2 anos.
Mas............ Que direito temos? Decretar o fim duma vida? Devemos deixar
que continue o sofrimento e a vida se desenrole naturalmente até ao fim?
Não sei, mas não me sinto culpada! Amava-o demais!
-------
Laura
publicado por LauraBM às 21:04
tags:

10
Jun 10

Tandy_MarileneCy3.jpgAhhhhhhh Laura.....vc gosta das historinhas dos meus bichos é? pois então ouça esta do safado do meu Tandy
Tinha que fazer um jantar para uns amigos e resolvi fazer um arroz a marinheira que vai alem de outros ingredientes um maço de brócolis:
Vc sabe que o brócolis não cheira muito bem quando a gente os cozinha né? por isso resolvi cozinhar um dia antes para o cheiro sumir...risos.
Acontece que separei as folhas das flores, dei um boa fervura para ele não ficar mole...escorri a água depois de cozido...separei as flores das folhas...arrumei tudo bonitinho e deixei em cima da mesa da cozinha numa travessa, semi coberto para sair o vapor e esfriar pra depois colocar na geladeira.
Fui fazer outras coisas e depois de umas 2 horas voltei à cozinha para guardar o brócolis cozido.
Quando lá cheguei...olhei para a mesa e a travessa estava vazia,aliás tinha só uma florzinha pequetita no cantinho.Achei que minha nora havia colocado na geladeira.Procurei em tudo e não achei,mas como vi as almofadas das cadeiras da cozinha no chão...desconfiei...chamei o Tandy E ELE NÃO VEIO.
Sabe onde ele estava? no castigo dele.Ele mesmo se coloca de castigo quando faz besteira.
Esta coisinha meiga Laura
Subiu em cima da cadeira... derrubou as almofadas , alcançou a mesa... e lá mesmo sobre a toalha comeu um maço de brocolis inteirinho e eu fiquei a ver navios né? GRRRRRRRRRRRRR
Não sabia o que fazer... Contei correndo pra minha filha e ela perguntou pq eu não dei a ele faca e garfo para digerir melhor,mas pode?
O difícil depois foi aguentar os PUNS FIDIDOS que ele começou a soltar e no dia seguinte o cocô dele estava verdinho... e eu tive que guentar....
Valha-me Deus...que situação
QUER MAIS HISTORIAS?
Hehhhehhe

Laura, você não viu a cena dramática aqui e agora
O meu cocker foi na cozinha e com a pata puxou toda a panela onde estava o frango do jantar......vixiiiiiiiiiiiiii COMEU TUDINHO..... fora a sujeira que fez na cozinha…
FICARAM TODOS SEM JANTAR......

Mais do que depressa, e pra meus netos não me matarem, eu descongelei salgadinhos do frezer e também salsichas pra comerem com salada, arroz, feijão e puré de batata.... combina né?
hehheheh....não sei se vai colar mas vou me trancar no quarto e ficar quietinha....hahhahaha

Daí mostrei a panela pró Tandy..... fiquei brava e ele mesmo se colocou de castigo.......
E adianta bater no Tandy o cocker mala?
Vou esperar ....depois te conto o resultado desta tragedia.... hahhahahah
ahhhhhh meu filho vai me pegar de pau
-------------
26/05/2006
MarileneCy

publicado por LauraBM às 23:42

12
Mai 10

Foi muito triste ver o Monty, pouco a pouco,

perder a faculdade da visão.

Ao mesmo tempo, a ficar um tanto mouco,

exige cada vez mais atenção.

 

Com a idade, os problemas se avolumam;

padecem como nós, isso eu já vi.

Como as pessoas, também eles se acostumam

ao que lhes traz a vida, ao «p.d.i.»

 

Pra disfarçar, deixo-lhe a franja mais comprida;

assim, dos olhos, nem se vê o esbranquiçado.

Com ele atrás, é como faço a minha lida;

 

sempre me encontra, sente-se bem ao meu lado.

Exige muito, esta presença tão querida.

Amigo velho, tem que ser muito cuidado!

----------------------------

10/07/2010

Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 23:33

10
Mai 10

Monty_juntopc.jpg 

 

Tem sido tão difícil descrever,
do Monty, a total perda da visão.
Quantas vezes tentei e, sem saber
como fazê-lo, só chorei pelo meu cão.

Foi vendo, cada dia, um pouco menos;
nos encontrões e tropeços reparamos.
Dos donos não vê, agora, os acenos
mas vem, com calma, sempre que o chamamos.

Conhece bem a casa e o quintal,
cada degrau e cada porta, não se engana.
A quem não sabe até parece natural,

fareja tudo e a linda cauda abana.
Tem 62 anos, é normal?!?!?!
A vida pode ser bem desumana.
-------------------------------
12/01/2009
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 22:52

10
Abr 10

cao_lambreta.jpgÀ parte o perigo de o animal cair e se magoar, confesso que é agradável de ver.

Quando vou às compras, ao sábado, também costumo encontrar-me com um homem de bicicleta mais um caniche anão numa caixinha, montada sobre a roda traseira.

E há um outro que passa na minha rua que transporta um caniche acastanhado aos ombros.

-------------------

Laura

publicado por LauraBM às 23:55

10
Mar 10

cao_levantar.gifMeu cão Piloto se desfez em pranto
Ao notar movimentos de partida.
Orelhas murchas, cauda bem caída,
Querendo me dizer do seu espanto...

Com mil afagos, disse-lhe, no entanto,
Que o amava e que quem ama não olvida.
- “Eu voltarei, verás, para, em seguida,
Rolarmos juntos no gramado”, adianto.

Demorei-me a voltar, e o telefone
Me deu notícias de um cachorro insone,
Triste, olhos baços, trémulo, friorento.

Voltei, e o cão, que já não mais se erguia,
Levantou-se, tomado de alegria,
Pois fez do meu carinho o seu sustento.
---------------
Solange Rech

publicado por LauraBM às 00:03

10
Fev 10

Adotebichos_naocompre.gif

Quanto mais comprarem, mais há para vender e menos abandonados obtêm donos.

Por favor, não ajude o comércio de animais!

Ajude, sim, as Associações de animais abandonados!

publicado por LauraBM às 00:11

10
Jan 10

caobeber_tijelao.gifEm minha casa acontecia a casa de banho estar sempre pingada de água. Era um facto estranhíssimo que ninguém sabia explicar.
Um dia, o meu marido viu o Monty, (o meu cão pequeno), a beber água da sanita.
Pensámos que ele não tinha água na tigela da cozinha mas tinha muita.
Uma explicação possível era o facto de ele, com o calor, gostar de estar a dormir na casa de banho e, preguiçoso, quando tinha sede bebia mesmo ali se a tampa da sanita estava aberta.
Outra explicação possível era o facto de ele ter passado sede na casa onde estava, por esquecimento ou sei lá porquê e se ter habituado a beber onde e quando encontrava água.

Claro que ficou todo o mundo proibido de deixar a tampa aberta.
Entretanto veio o frio e ele já não vai para lá.
E a família também se habituou a fechar a tampa da sanita.

Como vêm, é preciso imenso cuidado com os animais. Há factos que eles desconhecem, tais como as lixívias e os desinfectantes que pomos nos autoclismos ou dentro das sanitas e são muito perigosos quando ingeridos.

Quem traz para casa animais abandonados ou perdidos, tem que contar com situações estranhas. Nunca se sabe o que passaram anteriormente. Precisam de cuidados, carinhos e compreensão dobrados.
------------------
11/2006
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:26

25
Dez 08

caescantores4.gif

Quem disse que eles não comemoram o Natal

e não cantam as «Janeiras»?

Quem foi?

publicado por LauraBM às 21:48

10
Nov 08

Saí com meu boxer para passear, começou a chover, então descemos a ladeira meio que correndo em direcção a nossa casa. Mas subitamente, nem sei como, Hunter meu boxer deu uma arrancada e eu para não cair, larguei a correia.
Ele se enfiou na enxurrada e voltou com uma coisa na boca. Pensei que fosse um rato, mas era um gatinho pequenino. Ele foi levanto o gato na boca até casa.
Quando chegamos, ele começou a lamber o gatinho, que não era gatinho e sim gatinha, depois pegou-o e colocou ele dentro do prato de ração.
Coloquei leite num pires, então ele tirou o gato da ração e colocou dentro do pires de leite. Depois se enrolou todo e colocou o gatinho no meio dele.
Foi assim que ele criou essa gatinha.

Quando ela cresceu, ele ficava esperando ela na porta e não dormia enquanto ela não chegava da rua.
Quando ela teve filhos, deixava-os na caixinha e se mandava para a rua.
Adivinha quem ficava tomando conta deles? Hunter.
------------
27/04/2007
Muriel

publicado por LauraBM às 22:50

10
Out 08

Uma amiga brasileira, a Regina Mas, que leva o seu cão para tratamento com sessões de acupunctura contou-me o seguinte:
Quando levo o Juca para a acupunctura, há uma outra senhora com sua cachorrinha que me conta coisas incríveis da bichinha.
Diz que a cachorrinha se recusa a beber água se não for água Prata... (é uma água mineral daqui).
De manhã, ao acordar, ela liga o rádio em música e se desliga, a cachorrinha pede pra ligar de volta.
São 3 cachorros: marido, esposa e um filho. Todos adoram ver televisão... risos... (eu perguntei se acompanham a novela das 9 horas... risos).
Ela me disse também que o marido cão é carinhosíssimo com a com a esposa (cadela). Beija e lambe a esposa... Cerca-a de todo carinho e atenção.
Ai ela completa dizendo que queria que o marido dela fosse como o cachorro! risos...
Falou também do respeito entre a família animal ou cachorral... Se um está na área fazendo xixi ou cocô o outro espera e não entra na área enquanto o outro não acabar.
Olha, os cachorros dela são geniais... se tudo for verdade... Sei lá...
Enfim, achei que vc ia gostar de saber dessas coisas... Rádio, televisão, água mineral, etc...
A cachorrinha se chama Branca e é lindinha!
sua amiga
gina - 10/10/2008

publicado por LauraBM às 22:21

10
Set 08

cachorro_voador.jpg

publicado por LauraBM às 22:12

10
Ago 08

tanha_cao.jpgQuerido diário...
Nem sei como estou conseguindo digitar aqui neste treco esquisito que meu dono insiste em chamar de micro!
Deveria se chamar mico, pelo menos seria do reino animal.
Pois bem, resolvi registrar este dia aqui em forma de protesto, porque sei, que aqui, ele vai ler.
Acordei primeiro como sempre, dei aquela espreguiçada gostosa, abri aquele bocão, e segui para meu xixi matinal.
Qual não foi meu desespero ao não achar no local, o jornal!
Esqueceu...Outra vez!
Bem , o xixi poderia esperar.
Segui para seu quarto e comecei a lamber suas orelhas como sempre fiz, e o que ouvi?
- Para, deixa que eu durma, não viu a hora que fui dormir?
Claro que eu não tinha visto, era tão tarde que já era outro dia...
Um cão precisa ter oito horas de sono, no mínimo...
Quem ele pensa que sou???
Hurf...
Bem, tanto fiz, que ele finalmente acordou.
Abanei o rabo mais que pude para chamar sua atenção.
Ele passou a mão suavemente na minha cabeça, e quando pensei que ia me colocar a coleira, ouvi:
- Espera, vou ver meus e-mails...
Pronto!
Danou-se...
Era tudo o que eu não queria ouvir...
Agora, são duas e trinta e cinco da manhã, do outro dia, claro.
Minhas patinhas exercitei em volta da mesa mesmo, já sabia disso...
A sorte é que da ração ele não esquece mesmo!
Só que de tanta pressa, acho que ele tem comido dela também...
Se não deixar pra mim, vou latir feito cão...
Agora?
Ele foi fazer xixi, como pensa que consegui sentar aqui para escrever?
Hurf...
10/4/04

publicado por LauraBM às 00:20

10
Jun 08

Jucavelhote_gina.jpg

Juca já está um pouco velhote

mas continua um lindo e amado menino.

publicado por LauraBM às 00:01

10
Abr 08

como_cresceram.jpg

publicado por LauraBM às 23:21

10
Mar 08

cachorros_mochila.jpg''Do chão pró colinho...
Do colinho pró sofá...
Do sofá pra mochila...
Eis que me pego
fazendo loucura
com meus bichinhos.
Mas eles são mesmo
tão bonitinhos!

Ao entrar em casa
me recebem rosnando...
Reclamam carinho
e abanam o rabinho
fazendo festinhas...
E lambem minhas mãos
e até os meus pés.
Ai, meu Deus!
Como são graciosos e alegres
estes dóceis e meigos cãezinhos!''
-----------------------------------
*Emiele*
Ipatinga, 25/06/2006 - 19:30 horas

publicado por LauraBM às 23:13

15
Fev 08

cao_cavar.gifO palco desta história é varrido ferozmente pelos carros citadinos frenéticos que correm do sinal verde para abraçar o vermelho.
Era meio dia, precisamente e lá estava incansavelmente um cão também ele de meia idade, na Avenida Duque de Loulé em pleno alcatrão, esgravatava penosamente com um osso entre mãos, perdão entre dentes, na nobre tarefa canina de armazenar comida, para dias mais famintos.
Em frente dum talho, uma fila de cidadãos perfilava a espera do laranja.
A comicidade da cena foi observar a indiferença e languidez do cão, escavando ora com a pata ora com o focinho um buraquinho em plena avenida, os automóveis esses, que remédio abrandavam a marcha desviando caminho, permitindo ao cão continuar a sua árdua tarefa.
Na fila dos humanos, estávamos estupefactos, e com uma lágrima ao canto do olho; o quadro que víamos fazia nos pensar que o cão não abdicava dos seus instintos naturais independentemente do meio de betão armado envolvente, e das máquinas devoradoras, para ele era indiferente, o que interessava, era esconder o seu precioso tesouro.

Passaram dez anos, muitas vezes me questiono lembrando este cão, se não importa os meios para atingir os nossos fins....
--------------
2003/20/04
Leonor Vieira

publicado por LauraBM às 22:58

10
Jan 08

cao_olhosgrs.GIFComo uma câmara, os olhos têm uma lente(cristalino) dentro deles que é usada para foco. Uma catarata é qualquer opacidade do cristalino. A opacidade pode ser muito pequena (catarata incipiente) e não interferir com a visão. Ela pode envolver mais o cristalino (catarata imatura) e causar visão embaçada. Eventualmente, toda a lente fica nebulosa, e toda visão funcional se perde. Esta é chamada catarata madura.
Porém, todos os cães geriátricos desenvolvem um endurecimento da lente (Esclerose Nuclear) que leva o cristalino a ter uma aparência acinzentada e isto geralmente não interfere com a visão. Portanto um exame oftalmológico é fundamental para se diferenciar esses aspectos básicos.

A maioria das cataratas em cães é herdada. A catarata pode se desenvolver rapidamente em semanas, ou lentamente através dos anos, em um ou ambos os olhos. Como os humanos, cães também desenvolvem cataratas com a idade (frequentemente após oito anos de vida). Cataratas também podem se desenvolver em cães com diabete mellitus ou em filhotes órfãos em uma dieta de substituto artificial de leite.
Uma vez que a lente desenvolveu uma catarata, não há método conhecido de tornar a lente clara novamente. Cataratas maduras e imaturas deve ser tratadas cirurgicamente com sua remoção.

Os procedimentos e o equipamento usados para remover cataratas em cães são os mesmos usados em humanos. Através de uma pequena incisão, realiza-se a cirurgia. A técnica usada é a de facoemulsificação, onde uma sonda especial emulsifica ultra-sonicamente e remove a catarata. Depois que toda a lente é removida, uma lente artificial específica para cães e gatos é aplicada no saco capsular, chamada lente intra-ocular. A cirurgia é realizada com microscópio de microcirurgia.

Após cirurgia de catarata, os cães vêem quase normalmente, dependendo se é aplicada a lente intra-ocular ou não. As cataratas, após feito a cirurgia,  não voltam, no entanto, alguns cães podem ter uma menor visão alguns anos após a cirurgia devido à malformação do tecido de cicatrização, glaucoma ou desligamento retinal. Em alguns casos, a colocação de uma lente intra-ocular não é possível, mas estes cães ainda vêem melhor, porém  são mais hipermetropes e os objectos ficam fora de foco, no entanto, não batem nos obstáculos. A córnea faz dois terços do foco do olho, então a visão ainda estará presente, mas não perfeita se a lente (que faz um terço do foco) não pôde ser aplicada.

Cataratas maduras e imaturas causam uma inflamação reactiva séria dentro do olho (Uveíte facolitica) que deve ser tratada com medicamentos, se a cirurgia for realizada ou não. Cirurgia de catarata é um procedimento electivo. Se não for realizada, colírios anti-inflamatório, serão necessários para o resto da vida, assim como reconsultas oculares periódicas. A uveite facolitica pode levar a complicações como glaucoma ou retina desligada, além de diminuir a chance de sucesso na cirurgia de catarata.
Há uma época melhor para realizar a cirurgia. Quanto mais cedo a catarata puder ser removida, melhor.

Raças com Cataratas Hereditárias

Afghan Hound, Beagle, Cavalier, Cocker Spaniel, Golden retriever, Husky Siberiano, Labrador retriever,  Old English Sheepdog, Pastor Alemão, Pointer, Poodle Toy e miniature, Schnauzer Miniatura, Setter Irlandês, Welsh Corgi, West Highland White Terrier.

Com o sucesso da cirurgia podemos esperar que o animal negocie um obstáculo e possua um grau de visão suficiente para voltar a ser um indivíduo activo, feliz e integrado à rotina.

O HOSPITAL VETERINÁRIO S.O.S. ANIMAL de forma pioneira efectuou a primeira cirurgia de catarata por facoemulsificação da região de Maringá em 2007. Isto traz um alento aos inúmeros pacientes que possuem problema de catarata e até o momento só tinham a disposição as técnicas antigas de baixa eficiência como a extra capsular. O oftalmologista, Dr. João Alfredo Kleiner,  da cidade de Curitiba, actua há 10 anos na área de oftalmologia veterinária, e implantou o sector de oftalmologia no Hospital Veterinário S.O.S. ANIMAL sob direcção do Dr. Egon José Fuck. O sector pet hoje se equipara em tecnologia aos grandes centros, deixando a todos que possuam animais de estimação confortáveis para a preservação do bem estar dos seus animais em toda a sua vida.
------------------------------------
Fonte: Dr. Egon José Fuck, MV, PhD - SOS ANIMAL

publicado por LauraBM às 22:41

24
Dez 07

Anonovo_Tyron.jpgAi, desculpem, o Natal vem primeiro.

 

Então, Feliz Natal, sim, amigos?

 

Estou meio baralhado com estas festas todas.

 

-------

Tyron

publicado por LauraBM às 22:00

10
Nov 07

cao_Labradornegro.jpgArchie, um cão Labrador negro, perdeu seu dono em uma estação de trem escocesa, mas provou seu pedigree e seu bom adestramento embarcando no primeiro trem que deveria levá-lo de volta para casa.
Archie não só pegou o trem certo como também desceu na estação correcta.
Seu dono, Mike Taitt, o havia perdido na estação de Inverurie, ao leste da Escócia, e esperava que alguém, vendo a medalha do cão, o devolvesse, segundo noticiou o jornal Mail on Sunday.
"É um cão muito inteligente", disse Taitt.
"Como não conseguiu me encontrar, simplesmente pegou o trem certo para voltar para casa. Já tinha tomado esse trem antes. Estou certo de que sabia que era o correcto, mas quem sabe...", acrescentou.
As câmaras de vigilância da estação filmaram o cão esperando o seu dono e, em seguida, observando a chegada do trem Aberdeen-Inverness.
Depois de não encontrar o dono, o Labrador simplesmente embarcou no trem às 20h38 locais. Ele desceu em Insch, 12 minutos depois, para surpresa do funcionário ferroviário Derek Hope.
"Na plataforma, junto de Archie, havia um controlador que dizia que o cão havia embarcado sem bilhete em Inverurie", contou.
Dois policiais, o sistema de vigilância por câmaras e vários funcionários ferroviários confirmaram a façanha do cão.  
------------
28/08/2005
AFP

publicado por LauraBM às 18:36

04
Out 07

caoDalmata.gifAMIGOS DE VERDADE, de verdade mesmo, daqueles que, por mais que se queira, não se encontram por aí, grudam que nem carrapato e moram, definitiva-e-espaçosamente, em nossos corações e destinos.
São protagonistas de nossas aventuras e, em nossa companhia, topam qualquer parada e passam um montão de aperto. Isso vale pelos bons momentos...
Estão sempre com a mochila pronta para nos acompanhar pela vida afora, debaixo de chuva ou de sol, em festas ou na contra mão, mesmo quando perdemos o relógio, o rumo e a direcção...
Afinal, a verdadeira amizade não é incondicional?

De um amigo desses nada se esconde. Ele sabe. Ele sente e pressente. Não questiona nada e, ainda, agradece a Deus por nossa amizade. Quando perdemos a pose, nem se toca. Nessas horas, ele é perfeito: faz de conta que não viu nem ouviu nada...

Um verdadeiro amigo que se preze, com certeza, não foge na hora de um perigo.
Ao nosso lado, mostra os músculos e os dentes, encara rinoceronte ou a fera que queira nos morder, arriscando a vida para salvar a nossa... Mas, se a gente corre, ele corre mais rápido do que um coelho...

Amigo de verdade, gosta de beijar e nos abraçar de qualquer jeito, seja após o banho ou depois de uma boa ginástica. Com seu bom humor, curte até nosso "xulé"...

Um verdadeiro amigo é aquele maluco que aceita o que não aceitamos na gente... Curte as besteiras que fazemos, ri das nossas piadas e, descaradamente, faz a maior festa e brinca com a nossa cara, na hora que levamos aquele tombo...

Acho que o bom amigo só pode ser parente do meu cachorro...

Brincadeirinha... Deve ser igualzinho a você... rsss.
É bom ter amigos, né?
------------------------------
26/02/2007
Angela Moura
http://www.angelamoura.com/Nova/Superdogues.htm

publicado por LauraBM às 18:17

10
Set 07

cao_convencido.JPG

publicado por LauraBM às 18:08

10
Ago 07

SE VOCÊ PODE:

Começar o dia sem cafeína, nicotina ou tranquilizantes;
Comer, dia após dia, a mesma comida sem se queixar;
Entender que água é a melhor coisa para lhe matar a sede;
Entender quando existe tensão ao teu redor e evitar o perigo;
Ser capaz de ficar indiferente diante da alta do dólar e da queda da bolsa;
Ser capaz de compreender quando todos estão muito ocupados para te atender;
Aceitar a crítica;
Acalmar tua tensão sem precisar de auxílio médico;
Ter pique para passar noites em claro, numa óptima;
Dormir tranquilamente a qualquer hora, em qualquer lugar;
Relaxar ao final do dia;
Desfrutar da carícia de uma mão querida em tua cabeça;
Então, é quase certo...
Que
caes_gr.peq.jpg
VOCÊ É O CACHORRO DA CASA!
--------------------------------
Encontrado s/autoria na página
http://www.aguiareal.com.br/

publicado por LauraBM às 17:51

10
Jun 07

caoBeethoven_JaneBotti.jpg 

Mais uma beleza de cachorro.

Olhem só o pelinho dele, como brilha!

Parabéns, Jane!

publicado por LauraBM às 16:48

10
Mai 07

Montyportao.jpg

Hoje veio cedo, o correio, e apitou
à minha porta. Queria uma assinatura.
Ele chegou numa mota estrepitosa
e capacete negro. Que figura!

Dentro de casa gritei que já lá ia,
tentei sair a porta, apressada;
mas o Monty ladrava à minha frente
e no seu corpo eu sempre tropeçava.

Empurrei-o, saí para o jardim,
mas a cena era a mesma e progredia:
ameaçava, a voz do animal,
entre os meus pés a ladrar se metia.

Peguei-lhe ao colo, ao portão me dirigi
mas, ele, esganiçado e a tremer,
numa fúria peluda transformado,
no assustado carteiro quis morder.

Então apercebi-me, num repente,
ao ver o figurão com tal tamanho,
que o Monty só queria proteger-me
do monstro que apitava, um tanto estranho.

É assim o pequeno amigo Monty;
sempre alerta, aos meus pés ou ao meu lado.
Só um cão estará disposto a proteger
o dono, mesmo que aterrorizado!
------------------------------
11/12/2006
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 16:37

10
Abr 07

cachorrinho_suicida.jpg

publicado por LauraBM às 23:56

05
Mar 07

caodalmata_chorar.gif Encontrei um cachorro tão enfezado,
Olhando à sua volta interrogava,
A razão por que fora abandonado,
Por quem uns dias antes o amava?

Tinha o rabo metido entre as pernas,
E tentava passar despercebido,
Não sei se recordava frases ternas,
De quem havia as mãos tanto lambido!

Docemente falei àquele cão,
Sem saber a razão porque o fazia,
E tentava passar a minha mão,
Por aquele corpinho que tremia!

Também os animais, como os humanos,
Agradecem um pouco de calor,
Mas às vezes tropeçam em tiranos,
Que transformam a vida num horror!

Confesso que jamais conseguirei,
Entender quem despreza assim um cão,
Porque aquele cachorro que salvei,
Lamberá para sempre a minha mão!
----------------------
16/12/2001
Fernando dos Santos

publicado por LauraBM às 00:20

15
Fev 07

Poesia criada em homenagem a estes cães,

sem raça, sem dono, sem casta.
Lyra_viralata.jpg
Eu não tenho nenhuma raça Chamam-me de vira-lata
Eu não sirvo nem pra caça Durmo na rua ou na praça

Com frio ou chuva perambulo pelas ruas
Sou chutado pelos bêbados e outros cidadãos
Muitos vezes saio correndo com medo da perua
Posso ser sacrificado ou talvez virar sabão

O que muitos não sabem é de onde eu provim
Meus ancestrais originaram do primeiro lobo na terra
Muitos me acham feio outros bonitinho
Quando uma casa me adopta pode crer que nunca erra

Durante a noite pela cidade contemplo a hipocrisia
Se deito para dormir me chutam e me xingam
Nas minhas andanças constantes vejo festas de alegria
Lá comendo e bebendo eu aqui morrendo a mingua

Muitos dizem que coisa triste é vida de cão
Esta é uma verdade que não pode contestar
Só que tem cão que viaja até de avião
Mas com o pobre vira lata a coisa é outra questão

Excepto alguns vira lixos
Que por alguém é adoptado
São tão respeitados que não tratam como bicho
E até por nome de gente o danado é chamado

O que vocês não sabem posso ser de estimação
Quero estar sempre ao seu lado sua casa vigiar
Não peço muita coisa a não ser arroz e feijão
E uns parcos ossos pra minha fome matarem

Se adoptares um tomba-lixo como também sou conhecido
Você vai ter muito carinho e também distracção
Pois um cão quando é amado fica enlouquecido
Com a presença do cachorro criança teve recuperação

Um vira lata é inteligente amoroso e leal
Nunca deixa de ser amigo mesmo com depressão
Os cães deveriam ser tratados de maneira igual
Sejam de raças ou vira-latas o que querem é atenção

Dizem que somos mais agressivos do que os de pura raça
Isto não é verdade os que outros têm é instrução
Uns vão puxar trenó outros destros na caça
Alguns para o pastoreio outros perseguem o ladrão

O homem é culpado das nossas poucas agressões
Que na fase de formação nos negaram pão
No desenvolvimento da personalidade não nos deram atenção
Carregamos em nosso corpo a sequela da humilhação

Encerrando este lamento quero fazer uma apelação
Quando vir um vira lata sem lar sem comida e desprezado
Deixem nos perambular sem nos fazer mal criação
Mas se tiveres bom coração faça de nós seu adoptado

Ainda em tempo quero te lembrar
Quando quiser nos encontrar
Estaremos em toda parte até no cemitério nos verá
Onde estiver um vira lata qualquer um te informará
------------------------
03/30/06
Valeriano Luiz da Silva
Anápolis-Go

publicado por LauraBM às 01:16

21
Jan 07

Cuidado!!! Chocolate pode matar o seu cachorro!chocolate_tablette.gif
"Quando a Páscoa se aproxima e com ela aumenta o consumo de chocolate, quero fazer uma séria advertência.
Comer chocolate pode ser fatal p/um cão, dependendo do tamanho do animal, da quantidade e do tipo que ele ingerir.
Embora o chocolate possa ser tão gostoso e convidativo para os cães como para seus donos, ele contém uma substância conhecida como theobromine, um alcalóide amargo relacionado com a cafeína, que pode ter efeitos perigosos no animal.
Um cão pequeno, pesando de 5 a 20 quilos, pode morrer por ingerir de 50 a 200 gramas de chocolate ao leite, enquanto de que 6 a 20 gramas do chocolate sem gordura, pode ser fatal para um animal do mesmo tamanho.
Os cães grandes são capazes de tolerar maiores quantidades, mas a regra mais segura é a de manter todo chocolate fora do alcance do seu cão.
Há casos de o cão de repente adoecer, sem ninguém saber o porque.
Quem suspeitaria de algo tão maravilhoso como o chocolate?
Mas, ele é o culpado e se o socorro não for feito imediatamente, o animal poderá morrer.
Os sintomas dessa intoxicação surgem horas depois da ingestão e são similares à aqueles que acompanham muitas infecções gastrointestinais, incluindo vómitos, diarreia, hiperactividade, respiração pesada, ritmo acelerado na batida cardíaca, tremores musculares, acessos, distúrbios no controle de bexiga e até o coma.
A rapidez com que o tratamento veterinário for procurado é fundamental, podendo este profissional ser capaz de provocar vómito para impedir a absorção massiva de theobromine ou remover a toxina do organismo do animal através de outras formas que ele tem conhecimento.
Escolher bem os alimentos para seu cão é ter certeza que ele será sempre saudável. Lembre-se que em hipótese nenhuma, devem ser estimulados nele hábitos de comer com os seus donos, pois ele tem necessidades específicas em sua dieta."
---------------
6/04/2006
Terê Penhabe

publicado por LauraBM às 01:36

24
Dez 06

canzarrao_bebe.jpg

Afinal, no Natal não foi um anjinho que protegeu o bebé.

Foi um Diabo negro!

Feliz Natal/2006

assinado: Gigantão

publicado por LauraBM às 23:59

10
Nov 06

Hagom_veado.JPG 

Uma senhora achou um veado bebé à porta de sua casa no Canadá (ela acha que ele pode ter sido atropelado).
O cão dela, da raça Ridge Back, que se chama Hagon, está a ajudá-la.
Eles deram o nome de Bella ao veado, que deve ser uma fêmea.
Quando a veadinha bebé recuperar as forças, eles irão levá-la para uma família que adopta animais selvagens e órfãos, para que seja readaptada e solta no seu habitat natural.
Neste momento, ela está sendo alimentada com biberões.
Hogan, o cão da senhora praticamente assumiu as responsabilidades pela filhota.
Os dois partilham a mesma cama.
Vejam o cuidado do Hogan com a pequenina...
---------------------------------------------
8/09/2004
Sara Rafael
http://geocities.yahoo.com.br/jerusalem_13/sararafael.html

publicado por LauraBM às 01:01

15
Out 06

crianca-beijocao.jpgÉ comum as pessoas que possuem animais de estimação, e os tratam com carinho, serem constrangidas com críticas muitas vezes agressivas.
Os donos de bicho, por exemplo, recebem a sugestão de trocar o animal por uma criança pobre.
Quem diz isso pode estar pensando que defende os interesses das crianças carentes, mas na verdade está apenas comparando crianças a cães e gatos.

Compreender as verdadeiras razões da pobreza e do abandono das nossas crianças é complicado.
Fica mais fácil culpar os animais, que não podem defender-se.
Como se ao deixar um cão de estimação morrer de uma virose as crianças passassem a comer melhor.

O problema do menor abandonado tem vários culpados.
As causas primárias são estruturais e não podem ser mudadas por meio de boas intenções ou decretos.
Investimentos em saúde e educação são relegados para segundo plano.

A má distribuição de renda gera a opulência num extremo e a miséria noutro.
O planeamento familiar enfrenta resistência religiosa e de sectores ditos nacionalistas, além da indiferença do governo.

O Estado negligencia suas obrigações com o bem-estar social, desviando recursos da educação, saúde, moradia e saneamento básico para investir em mineração, siderurgia, telecomunicações, energia e
no sistema financeiro.

Os menores de rua muitas vezes são fugitivos da violência doméstica gerada por pais ou padrastos alcoólatras.
Aí está uma longa relação de culpados de duas pernas pela situação das crianças pobres.

Mas há pessoas que entendem que uma criança pobre e um cão têm a mesma necessidade afectiva, revelando sua ignorância, alienação ou má-fé e desprezo pela criança carente a quem dizem defender.

Muitos podem ter condições financeiras para adoptar uma criança, mas são incapazes de prover suas necessidades afectivas e segurança emocional.

A maioria dos que adoptam um animal visa preencher um vazio em sua vida.
Pessoas idosas, muitas vezes marginalizadas pelas próprias famílias, têm no animalzinho de estimação talvez sua única razão para continuar vivendo.
Há inúmeros registros de gente que superou a depressão graças ao convívio com animais de estimação.

O contacto com eles tem sido preconizado como um excelente auxiliar no tratamento de autistas.
Finalmente, não são apenas as dondocas que frequentam as clínicas veterinárias.
Pessoas humildes passam apertado para levar ao seu bichinho o atendimento médico.
O respeito, o afecto e o cuidado com os animais não eliminam a necessidade de atenção para com o ser humano.
Pelo contrário, aprimoram e complementam a capacidade de nos relacionar com os semelhantes
-----------------------------------
20/03/2005
Autor:
Dr. José Ricardo Henz, veterinário,
Fortaleza - Ceará

publicado por LauraBM às 18:39

10
Out 06

cao_bone.gifQuando a solidão se abater e não tiveres ninguém para te fazer companhia, ele estará contigo.
Quando todos os amigos te abandonarem no infortúnio de uma doença, sem temer contágio, a teu lado ele estará.
Quando numa desgraça sentires obrigado a dormir ao relento, a teu lado ele dormirá.
Se sentir que corres perigo de ser atacado por outro animal ou mesmo por um humano, ele latirá e não medirá esforços para te proteger.
Se ferido, ele te lamberá acarinhando, para que reanimes.
E quando acamado, na luta entre a vida e a morte, ele ficará atento à beira do teu leito esperando que de lá  levantes, e brinques com ele.
Quando choras, olhe seus olhos... Neles haverás de ver o brilho de uma lágrima marejando, e uma expressão consoladora, como se quisesse te dizer: Não chore! Ou como se te perguntasse: Por que choras?
Quando não tiver fortuna, saúde e amigos, alguém real e carinhoso estará a teu lado - teu cão!
Na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, este sim, faz um juramento silencioso contigo. É teu fiel amigo. É presença constante e não te abandonará por nada deste mundo!
Ainda que por vezes, num gesto repentino de impaciência e repulsa enxota-o do teu lado, ele compreende e afasta... Observa-te à distância humildemente, e basta um gesto ou um sorriso teu para que ele volte.
E abanando o rabo demonstrando carinho e aceitação deita a teus pés. E lá fica silencioso...
Se morreres, 'a beira do teu túmulo ficará amuado’  à espera dum milagre... 
Permanecerá mudo, enfraquecido e sem se alimentar.
E num sentimento quase humano de dor e de paixão, também morrerá, se ninguém de lá o afastar.
Esteja certo: depois de Deus, teu cão é gratuita e desinteressadamente, teu fiel amigo.
Talvez mais amigo que outro humano possa ser.
E como um amigo apaixonadamente insano, morrerá também se você morrer!
-------------------------------------------------------------------
Emiele
Ipatinga, 31/12/2004 -16:10 horas.
*Direitos Autorais Reservados.
Poema escrito após assistir a um filme sobre o cão de nome Trum.

publicado por LauraBM às 18:20

05
Set 06

caopeludo_brincadeirasneve.jpg

 


Divertido, não?

publicado por LauraBM às 12:21

05
Ago 06

caosexo2.jpgTodo mundo que eu conheço, e que tem um cachorro, costuma chamá-lo de Rex, Lulu ou algo assim.
Eu botei o nome do meu de "Sexo".
Mas agora, Sexo é muito embaraçoso para mim...
Quando eu fui à prefeitura renovar a licença dele, disse ao funcionário que queria uma licença para Sexo, e ele disse que também queria uma para ele! Aí eu disse que era para um cachorro, e ele disse que não se importava com o tipo de vida dos outros.
Eu disse:
- "Você não entende?
Eu tenho Sexo desde os 9 anos de idade."
E ele replicou:
- "Você devia ser um garoto bem precoce!"

Quando resolvi casar, disse ao padre que gostaria de ter Sexo na igreja durante a cerimónia de casamento.
Ele falou que eu teria que esperar a cerimónia acabar. Eu disse:
- "Mas Sexo tem uma grande importância na minha vida.
Meu mundo gira em torno de Sexo."
Ele disse que não gostaria de ficar ouvindo sobre a minha vida pessoal, e que não nos casaria na igreja dele. Aí eu contei a ele que todos os familiares e convidados gostariam de ter Sexo na igreja.
No dia seguinte casei apenas no civil. Minha família foi banida da igreja para sempre.

Quando fomos para a lua de mel, levamos Sexo connosco.
Ao chegar no hotel, eu pedi um quarto para minha mulher e eu. E um quarto especial para Sexo.
O atendente disse que todos os quartos eram bons para sexo. E eu:
- "Você não entende? Sexo me mantém acordado a noite toda!
E ele:
- "Eu também!"

Um dia inscrevi Sexo numa competição, mas ele sumiu.
Um outro competidor perguntou o que eu estava procurando, e eu disse que gostaria de ter Sexo na competição.
Ele disse que eu estava na competição errada.
- "Por favor", implorei, "Eu quero ter Sexo na TV! "
Ele chamou os seguranças, que me puseram para fora.

Quando me divorciei, fomos ao fórum, brigar pela custódia do cão.
Eu disse:
- "Meritíssimo, eu tinha Sexo antes do casamento, mas ele me abandonou depois que casei."
O Juiz lamentou:
- "Comigo ocorreu o mesmo..."

Ontem à noite Sexo fugiu de novo. Procurei durante horas, até que um policial perguntou o que eu estava fazendo na rua às 4:00 da manhã.
Eu disse que estava procurando por Sexo.
Meu caso vai a julgamento semana que vem...
Bem, agora eu estou na cadeia, divorciado, com mais problemas com o cachorro do que eu poderia imaginar.
Quando fui à primeira sessão com o psiquiatra, ele perguntou qual era o meu problema. E eu disse:
- "Sexo sempre foi meu melhor amigo, porto da minha vida.
Mas, agora ele me abandonou, e sem Sexo eu estou tão sozinho que não tenho mais razão para viver."
E o doutor:
- "Sexo não pode ser o melhor amigo de um homem.
Por que você não compra um cachorro???"
--------------------------------
7/10/2005/
Recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 23:48

05
Jul 06

cao_yoyo.gifEra um sábado perfeito,
domingo negro, sem jeito,
estava a chover. Ora bolas!
O sol brilhava na rua,
na noite de feia lua.
Mascavam-se Coca-Colas.

De tabuleiro na mesa,
com alegria, repesa,
na praia ao sol, ao serão,
eu sozinho, acompanhado,
fui jogar cartas, com dado.
No chão, ao colo, o meu cão.

No auge, começa o jogo
que, de tão bom, era um logro;
bem, mal, corria a função.
O dado andava, saltando...
meteu-lhe o dente, o malandro...
Era uma vez... Reinação!
--------------------------------
20/02/2003
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 17:56

20
Jun 06

casalinho_daMara.jpg
Um casalinho muito bem combinado

da minha amiga Mara Regina.

publicado por LauraBM às 00:30

15
Jun 06

Viny_caes4.jpg 

A filha da minha amiga Ana Suzuki do Brasil.

Viviane e seus dois cães:

Patty von Vir Alata e Tampinha von Vir Alata

publicado por LauraBM às 01:17

05
Jun 06

AngeleKaka.jpg"Quem não gosta ou não liga pra cachorro, nem continue a ler, porque hoje o post é dele: o melhor amigo do homem. Toda minha vida, eu sempre disse que gostava mais de gato do que de cachorro. Cachorro era muito dado, muito pulante e sempre que eu pensava em cachorros, pensava no Ode, o cachorro que o Garfield adorava sacanear. Aquela coisa viscosa e lambedora. Bom, como disse certa vez Blaise Pascal: “Não tenho vergonha de mudar de ideia porque não tenho vergonha de pensar” Pois bem, continuo gostando de gatos, da postura classuda e indiferente, da languidez felina e charmosa que só eles têm, mas confesso, hoje amo cachorros.

Quando a mamãe morreu, pouco mais de quatro meses atrás, muitas vezes pela manhã eu inventava um motivo para sair da cama, invariavelmente era para alimentar os cachorros, em especial o Kaká, o poodle que andava pra cima e pra baixo com ela. E foi ele que me ganhou totalmente, que de certa forma me salvou um pouco a cada dia.

No início, ele se abateu muito, assim como eu, guardadas as devidas proporções, parecia não entender como alguém some de repente para nunca mais voltar. Muitas vezes peguei-o olhando para a porta do quarto dela esperando que se abrisse e ela surgisse, muitas vezes me peguei fazendo o mesmo, esperando que ela me chamasse para o café, vício sagrado de todo finalzinho de tarde. A porta nunca mais se abriu e eu sei, apesar do tanto que ainda me dói e doerá, não se abrirá mais, porém, foi justamente esse cachorrinho que nas horas mais solitárias me deu o carinho, o olhar e quase a compreensão que eu precisava. Quantas vezes, chorando, ele não vinha ao meu colo e ficava me olhando dentro dos olhos como se dissesse: “Ok. Agora somos só nós dois, vamos tratar de seguir adiante”.

Perdi a conta das vezes que ele pulou e pula para a minha cama no meio da noite, basta que eu me mexa muito. Algumas vezes, misturado no sonho, na noite, na sonolência da madrugada penso que é ela tentando apaziguar meu sono agitado. Todos os dias quando chego de algum lugar ele faz uma festa como se não me visse a anos. Pula, comemora, se mistura entre as minhas pernas e fica tão ofegante que preciso pegá-lo no colo e dizer baixinho: "Pronto, eu voltei, shhiiiiii, calma, eu voltei."
Um amigo certa vez disse que amor de cachorro é o único amor incondicional, e pensando bem é mesmo. Não importa se no dia anterior você “chutou”, brigou, afastou o cachorro, dali mais um pouquinho ele virá abanando o rabo como se nada tivesse acontecido. Ele não exige nada, mesmo que você esqueça de alimentá-lo, mesmo que você esqueça de encher o pote d´água, na volta ele não vai te confrontar exigindo seus direitos a bons tratos, ele vai te receber como sempre, vai até fazer um chamego, mas nada que não te faça sorrir e muitas vezes pedir desculpas pelo esquecimento.

É, talvez nem adiante explicar, talvez alguns achem esse texto pra lá de bobo e sentimentalóide, mas de uma coisa eu sei, só quem tem cachorro sabe o que significa esse pequeno trecho de música:

“Meu cachorro me sorriu latindo...Eu voltei...”
--------------------------------------
Andréa Augusto e seu cãozinho Kaká. 
http://www.literatus.blogspot.com 

publicado por LauraBM às 23:21

03
Jun 06

Koro-tchan_daLuzFumiko.jpg 

Koro-chan, da minha amiga Luz Fumiko - Japão.

Um tanto estranho mas é uma raça japonesa.   kkkkkk

publicado por LauraBM às 23:36

10
Mai 06

Monty_colarfrente2.jpgNo dia 4/07/2006, às 11 horas, o Monty foi castrado. Tem 5 anos e apresentava um pequeno quisto na próstata. Como essas coisas têm tendência a piorar com a idade, e era um tormento a convivência com a Daisy, castrada, resolvemos a questão. 
Hoje, dia seguinte, já se apresenta muito bem disposto, a tentar correr e saltar.
Ainda não come muito mas vai com o tempo.

Chatice é com a Daisy. Ela tentou morder no Monty mal ele se aproximou, e rosna-lhe mal o vê ao longe.
A médica diz que é por causa do colar e não me preocupe porque não é inédito. Acontece com alguns cães que convivem com outros na mesma casa.

Esta manhã, ao pequeno almoço, dei-lhes a comida com as tigelas lado a lado, como é hábito. Pois se eu não estivesse ali ela tinha mordido o companheiro. Eriçou o pêlo e atirou-se a ele, mal ele lhe tocou com o colar. Desde ontem que lhe andava a rosnar, mas não pensei que fosse tão longe!

Penso que algo entre eles se modificou, já que ele não parece o mesmo. A diferença conta!
Com aquilo ao pescoço é um cão diferente que a assusta; mesmo porque ele anda com o colar a bater por todos os lados e faz um barulhão…

Enfim, têm que estar separados, ela fora e ele dentro, de porta fechada. Quando ele precisa de ir lá fora, eu tenho que lhe retirar o colar para ela não estranhar, mas ir atrás dele porque pode puxar algum dos 5 pontos da costura.
Hoje resolvi dividir o dia em algumas partes e numas ele fica dentro e ela fora. Noutras, ela fica na parte das traseiras e ele na frente. Assim podem os dois apanhar fresco e sol, cheirinharem por todo o lado e fazerem cocós e chichis.  Ele anda com o colar posto, eu fico menos preocupada e com mais tempo livre. Parece que funciona bem!
Durante 10 dias, se tudo correr bem, vai ser assim.
----------------------------------------
5/07/2007
Laura B. Martins  (dona do safardeta)

publicado por LauraBM às 16:28

10
Abr 06

caes-minimaxi1.jpg
E depois? Qual é o problema do tamanho? Queres ver este?
Vai encarar, é? Xiiiiiiiiii!!!!!!!!! Béu, béeeuuu!!! Grrr!!!

publicado por LauraBM às 16:19

05
Abr 06

cao_conduzircarro.gif
É um facto!

O que eles gostam das velocidades!!!!!!!

publicado por LauraBM às 16:07

05
Mar 06

cao_passeardona.gifComo é bom ter você ao meu lado
Um anjo neste mundo material
A minha vida tem sempre guardado
Bom companheiro, amigo sem igual

Silencia quando nervoso reclamo
Contente aos meus pés se põe a cheio
Em guarda atento quando eu o chamo
Saltita quando da hora do passeio

Meigo gentil, sempre a minha espera
Feliz ao meu encontro quando anoitece
Por seu alimento e água ele agradece
Com as brincadeiras nunca se altera

Cansado mas alerta faz sua guarida
Fiel companheiro, peludo sedoso
Cãozinho querido, amigo amoroso
Parabéns por mais um ano de vida
--------------------
21/01/2003
Renate Emanuele

publicado por LauraBM às 16:02

05
Fev 06

Esta advertência da amiga Selma, repassada pela Ana Suzuki, é real e acontece inúmeras vezes.
Conforte o seu animal de estimação, especialmente o cão, também quando há trovoadas porque, geralmente, têm pavor de trovões.
Eu tive um Labrador enorme que tremia e me saltava em cima assim que ouvia um trovão.
É preciso falar-lhes docemente, em voz baixa, enquanto os acariciamos e os encostamos a nós. Eles acalmam-se com o n/amor e carinho.

A passagem do ano costuma ser bem traumática para os animais se estiverem em zonas de fogos de artifício, foguetes e muitas buzinadelas. São seres vulneráveis e não coisas, como muita gente julga.
------------------------------------------------------------------
Laura B. Martins

Se «eles» falassem pediriam o mesmo:
cao_florboca2.jpgO alerta abaixo é muito importante.
O assunto é BASTANTE SÉRIO. Sei de alguns casos horríveis envolvendo cães que tinham pavor ao barulho dos fogos de artifício. Alguns morreram, provavelmente de enfarte.
A audição deles é muito aguçada e, por isso, percebem o som com uma intensidade muito superior àquela percebida por nós. Eles sofrem fisicamente com o som. Além do problema físico existe susto, medo, pânico...
Nenhum deles fica tranquilo diante de tanto barulho; alguns sofrem demais e as consequências podem ser as que estão abaixo: fugas, mortes, etc.
Procure deixar o seu cão tranquilo, anime-o, conforte-o, PROTEJA-O.
NÃO O DEIXE SOZINHO, pois o pânico é muito grande e suas consequências realmente podem ser fatais.

IDENTIFIQUE O SEU ANIMAL - ESSE TAMBÉM É UM ACTO DE AMOR!
------------
15/12/2005
Selma

publicado por LauraBM às 13:06

10
Jan 06

Tabela de idade

Cães/Homem

06 meses 18 anos; 18 meses 20 anos; 20 meses 21 anos; 22 meses 22 anos
02 anos 24 anos; 03 anos 28 anos; 04 anos 32 anos; 05 anos 36 anos;
06 anos 40 anos 07 anos 44 anos 08 anos 48 anos 09 anos 52 anos;
10 anos 56 anos 11 anos 60 anos 12 anos 64 anos 13 anos 68 anos;
14 anos 72 anos 15 anos 76 anos 17 anos 84 anos 19 anos 92 anos;
20 anos 100 anos

publicado por LauraBM às 00:03

24
Dez 05

caes3_dancar.gif
É Natal... É natal...

publicado por LauraBM às 18:19

10
Nov 05

homem_cao.gifSerapião era um velho mendigo que perambulava pelas ruas da cidade.
Ao seu lado, o fiel escudeiro, um vira-lata que atendia pelo nome de Malhado.
Serapião não pedia dinheiro. Aceitava sempre um pão, uma banana, um pedaço de bolo ou um almoço feito com sobras de comida dos mais abastados.
Quando suas roupas estavam imprestáveis, logo era socorrido por alguma alma caridosa.

Mudava a apresentação e era alvo de brincadeiras.
Serapião era conhecido como um homem bom, que perdera a razão, a família, os amigos e até a identidade.
Não bebia bebida alcoólica, estava sempre tranquilo, mesmo quando não havia recebido nem um pouco de comida.

Dizia sempre que Deus lhe daria um pouco na hora certa e, sempre na hora que Deus determinava, alguém lhe estendia uma porção de alimentos.
Serapião agradecia com reverência e rogava a Deus pela pessoa que o ajudava.
Tudo que ganhava, dava primeiro para o malhado, que, paciente, comia e ficava a esperar por mais um pouco.
Não tinha onde dormir, onde anoiteciam, lá dormiam.
Quando chovia, procuravam abrigo embaixo da ponte e, ali o mendigo ficava a meditar, com um olhar perdido no horizonte.

Aquela figura me deixava sempre pensativo, pois eu não entendia aquela vida vegetativa, sem progresso, sem esperança e sem um futuro promissor.
Certo dia, com a desculpa de lhe oferecer umas bananas fui bater um papo com o velho Serapião.
Iniciei a conversa falando do Malhado, perguntei pela idade dele, o que Serapião, não sabia.
Dizia não ter ideia, pois se encontraram um certo dia quando ambos andavam pelas ruas e falou:
- Nossa amizade começou com um pedaço de pão, ele parecia estar faminto e eu lhe ofereci um pouco do meu almoço e ele agradeceu, abanando o rabo, e daí, não me largou mais.
Ele me ajuda muito e eu retribuo essa ajuda sempre que posso.
Curioso perguntei: - Como vocês se ajudam?
- Ele me vigia quando estou dormindo; ninguém pode chegar perto que ele late e ataca.
Também quando ele dorme, eu fico vigiando para que outro cachorro não o incomode.

Continuando a conversa, perguntei: - Serapião, você tem algum desejo na vida?
- Sim, respondeu ele - tenho vontade de comer um cachorro quente, daqueles que a Zezé vende ali na esquina.
- Só isso? Indaguei.
- É, no momento é só isso que eu desejo.
- Pois bem, vou satisfazer agora esse grande desejo.
Saí e comprei um cachorro quente para o mendigo. Voltei e lhe entreguei.
Ele arregalou os olhos, deu um sorriso, agradeceu a dádiva e, em seguida, tirou a salsicha, deu para o Malhado e comeu o pão com os temperos.
Não entendi aquele gesto do mendigo, pois imaginava ser a salsicha o melhor pedaço, não me contive e perguntei intrigado: - Por que você deu para o Malhado, logo a salsicha?
Ele com a boca cheia respondeu: - Para o melhor amigo, o melhor pedaço!
E continuou comendo, alegre e satisfeito.

Despedi-me do Serapião, passei a mão na cabeça do Malhado e sai pensando.
Aprendi como é bom ter amigos. Pessoas em que possamos confiar.
Por outro lado, é bom ser amigo de alguém e ter a satisfação de ser reconhecido como tal.

Jamais esquecerei a sabedoria daquele eremita:
"PARA O MELHOR AMIGO O MELHOR PEDAÇO"
-------------------------------------------
16/10/2004
artigo recebido via Internet sem autoria

publicado por LauraBM às 15:57

05
Nov 05

pastor_australiano.jpgO plantão no pronto-socorro parecia calmo naquela tarde. Uns cortezinhos à-toa, hipertensões leves, nada que não resolvêssemos sem estresse.
De repente entra um jovem, chorando muito, e uma senhora desmaiada numa cadeira de rodas.
Enquanto o médico plantonista atendia a senhora, fui colher os dados sobre a ocorrência.
O rapaz se chamava Daniel, e naquela tarde, após a fuga de seu cão fila Brad, percorrera diversas ruas à procura do mesmo, encontrando-o no Campo São Bento, junto a outros cães, na maior farra!
Aí começou de facto a caçada. Quanto mais ele corria, mais Brad parecia voar, até que, atravessando a rua, foi atropelado por um carro.
Daniel, então, pegou Brad e levou-o a uma das clínica veterinárias da proximidade.
Havia muito sangue, e o cão estava inquieto.

Chegando à clínica, Brad abocanhou um pequeno poodle e foi um desespero ensurdecedor.
A dona do poodle, o poodle, os funcionários, enfim, todos gritavam. Era um caos generalizado.
Daniel conseguiu conter Brad, mas ficou todo ensanguentado, como se tivesse sofrido um grave acidente.

Após o atendimento, Daniel resolveu ir à casa de sua tia Ilma e tomar um banho para trocar as roupas.
Como sair pelas ruas daquele jeito? Além do mais, tinha o mesmo corpo que seu tio Gilberto e a casa da tia era na mesma quadra da clínica.
Estava entrando no banheiro quando a tia o viu naquele estado de sanguinolência, deu um grito e desmaiou.

Era essa a causa de sua ida ao pronto-socorro. O que faria? Teria matado a tia de susto? Um terrível sentimento de culpa invadia aquele jovem.
A tia continuava desmaiada, e os médicos começavam a não entender, pois estava tudo bem, nada que não pudesse ser resolvido em poucos minutos.
Decidem chamar o marido, seu Gilberto.
Foi o que bastou para que Ilma voltasse a si. Tão logo ouviu a voz do marido, acordou perguntando os supermanjados: Onde estou? O que houve?

Depois soubemos que estavam separados há dois meses e obviamente ela aproveitara o susto e simulara um desmaio interminável para chamar a atenção e atingir (quem sabe?) os seus objectivos.
Saíram os três da clínica. Ou melhor, os quatro, pois não fosse Brad, nada teria sido possível.

Fico aqui pensando sobre a real importância dos cães em nossa vida e chego à conclusão de que são os melhores amigos do homem. Guiam cegos, guardam casas, fazem chamegos nos donos, balançam o rabinho para... promovem até reconciliação entre casais.
-----------------------
21/01/2005
Belvedere
(Grupo Trem das 11)

publicado por LauraBM às 15:43

10
Out 05

caoRotwailleranjo.jpgExistem pessoas que não gostam de cães.
Estas, com certeza, nunca tiveram na sua vida um amigo de quatro patas.
Ou, se tiveram, nunca olharam dentro daqueles olhos para perceber quem estava ali.
Um cão é um anjo que vem ao mundo ensinar amor.
Quem mais pode dar amor incondicional, amizade sem pedir nada em troca, afeição sem esperar retorno, protecção sem ganhar nada, fidelidade vinte e quatro horas por dia?
Ah, não me venham com essa de que os pais fazem isso, porque os pais são humanos e quando os agredimos eles ficam irritados e afastam-se...
Um cão não se afasta!
Mesmo quando você o agride, ele retorna cabisbaixo, pedindo desculpas por algo que talvez não tenha feito, lambendo as suas mãos a suplicar perdão.
Alguns anjos não possuem asas, possuem quatro patas, um corpo peludo, nariz de bolinha, orelhas de atenção, olhar de aflição e carência.
Apesar dessa aparência, são tão anjos quanto os outros (aqueles com asas), e dedicam-se aos seus humanos tanto quanto qualquer anjo costuma dedicar-se.
Às vezes, um humano veste a capa de anjo e sai pelas ruas a catar alguns anjos abandonados à própria sorte. Cura-lhes as feridas, alimenta e abriga; só para ter a sensação de haver ajudado um anjo...
Deus, quando nos fez humanos, sabia que precisaríamos de guardiões materiais que nos tirassem do corpo as aflições dos sentidos, e nos permitissem sobreviver a cada dia com quase nada além do olhar e da lambida de um cão...
Que bom seria se todos os humanos pudessem ver a humanidade perfeita de um cão!
Reflictam!!!
--------------------------------------------------------------------------------------------
21/07/2002
Não sou autora deste artigo, recebi de uma amiga e resolvi repassá-lo, pois achei-o muito bonito...
Elizabeth Hampe Bocchese

publicado por LauraBM às 16:42

13
Set 05

viajar_semvc.jpg

publicado por LauraBM às 15:14

12
Set 05

cao_piscina.jpg

publicado por LauraBM às 23:43

10
Set 05

cao_ventoinha.jpg

publicado por LauraBM às 23:58

05
Set 05

cao-chorarcomvc.jpg

publicado por LauraBM às 15:16

04
Ago 05

cao_bass.hound.gifViajando com o meu cão basset hound, escrevi antecipadamente ao Hotel Amador Las Cruces, no Estado do Novo México, para saber se podiam acomodar um hóspede de quatro patas.
Eis a resposta:

"Trabalho na indústria hoteleira há mais de 30 anos.
Até agora nunca precisei de chamar a polícia para expulsar um cão que promovesse distúrbios até altas horas da noite.
Até hoje nunca vi um cão pôr fogo na roupa da cama por adormecer com um cigarro na mão.
Nunca encontrei uma toalha ou um cobertor do hotel na mala de um cão.
Nunca encontrei manchas deixadas nos móveis pelo fundo da garrafa de um cão.
Está claro que aceitamos o seu cão.

PS: Se ele se responsabilizar pelo senhor, venha também."
A gerência.

publicado por LauraBM às 13:07

12
Jul 05

cao_trela.jpg Quem te disse, ó insensato,
que um cão devia estar preso?
Quer seja grande ou pequeno,
é um animal indefeso
à tua guarda. Ele, sim,
é quem deves tu guardar;
porque o tomaste pra ti
e já nem sabe caçar.

Prendê-lo pelo pescoço
é ofensivo, é maldade.
Muito gostava de ver,
tu, na mesma qualidade
de prisioneiro carente...
um metro ou dois para estar...!
Pudesse eu, tudo faria
pra num cão te transformar.

Os homens querem ser maus,
mas dos maus se defenderem;
fazem, dos cães umas feras,
para nos outros morderem.
A esses deixam corrente
suficiente, pra andar
de cá para lá. Os bichos
não se conseguem soltar.

Se ladram, a tomar conta(?),
quando alguém vêem chegar,
quem te disse que não é
pedir para o libertar?
E se, acaso, desconheces
como é triste o seu viver...
Acho que não o mereces.
Devia de te morder!
-------------------------
9/01/2004
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 18:58

10
Jul 05

cao-xixi_Pc.jpg

Brasileiro, vírus não!

(tão pouco, chichi de cão)

Estava eu a responder
ao correio do meu irmão
quando em... com.br
chegou vírus. Que aflição!

Tragou a minha mensagem,
deu um fora no programa
fiquei danada da vida
e fui direita prà cama.

Ó meu irmão brasileiro,
mas que mal é que te fiz?
Tantos os vírus que mandas...
Se não gostas de mim... diz!
----------------------------

13/02/2004
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 16:44

17
Jun 05

esquilo_tronco.gif Eu, que sempre me gabo de morar num apartamentinho onde nenhum ser vivo, além de mim e eventualmente de alguma visita, me dá trabalho, ontem fiquei triste justamente por causa disso.
Resolvi andar a pé alguns quilómetros e, como estou fora de forma, parei para descansar numa loja que vende pequenos animais.
Apaixonei-me por um esquilo miudinho, zoiudo, pequeno como um rato, que vinha em direcção a mim, por mais que eu mudasse de lugar. De pé, com as mãozinhas recolhidas, ele encarava-me firme e, se eu balançasse a cabeça, ele balançava também.
Sempre tive essa estranha empatia com os animais.

 

Viktor_expressao.jpg Esse olhar do Viktor, por exemplo, é daqueles que me dão uma certa vertigem, como se eu estivesse prestes a descobrir um segredo do universo e não pudesse suportar a verdade.
Ontem, o pequeno esquilo me trouxe de novo essa sensação. Seus olhinhos negros e doces não me perdiam de vista, e era como se me dissessem alguma coisa.
Infelizmente, a gente tem dificuldade até para entender os humanos.
Como entender os bichos, aqueles como os cães, que nascem, crescem, sofrem, amam e morrem como nós, mas, diferentes de nós, não dispõem de um vocabulário para sua expressão?

É por isto que às vezes, ao encará-los, eu choro.
----------

21/05/2004
Ana Suzuki

publicado por LauraBM às 22:09

15
Jun 05

Elane Tomich responde, sobre o seu cãozinho que não é gay mas é misógino:

caobeberagua.gif"Meu cachorro? O nome dele é Happy. Um poodle preto, velhim, qui dá dó.
Parece gente. Só assiste televisão, sentado numa cadeira e se lá ficarmos durante horas, ele fica também.
Não late, a não ser para fogos de artifício.
Mas o mais interessante, é sua opção sexual: ele detesta cadelas, não só pela provecta idade, mas porque sempre foi assim.
Primeiro, nós achamos que ele era bicha, mas agora sabemos que é misógino e que seu grande amor é o Lelinho, um coelhinho sebento de pelúcia, com quem ele mantém uma relação platónica.
Várias vezes, trouxeram cadelinhas no cio para ele, enfim se casar, mas qual o quê. Bem que avisei... Eu não liguei muito, mas meu ex-marido e meus filhos ficaram bastante envergonhados com a falta de macheza do Happy. Aliás, pelo meu ex-marido, a educação dos filhos homens limitava-se a serem bons e fiéis cotinthianos e machos prá cacete.
Certa vez, um deles cometeu uma infracção filial trivial, e quando o pai reclamou, lembrei-o de que, afinal, nada havia do que reclamar; os meninos eram corinthianos e mulherengos.
O happy, quase um filho, fugiu à regra, para desgosto e justificativas intermináveis dos homens da casa.
Ele nem ligou: tem personalidade, é assumido em suas preferências.
---------------------------------
http://www.elanetomich.com.br
http://www.usinadeletras.com.br
------------------------------------
Nota da Ana Suzuki: Minha filha mais velha também teve um pastor alemão que era assim, detestava cadelas. Aliás, detestava cachorros em geral, talvez porque tivesse a convicção que ele mesmo era gente, como o pessoal da casa.

publicado por LauraBM às 18:41

13
Jun 05

  A asneira do dia!

ComendoHawaiana_2.jpgQuem comeu não sei.
Só sei que a encontrei toda comida no chão!
Peguei no meio do tapete; tão amassado quanto minha havaiana mordida.
Só me restou colocá-la no lixo!
Se foi Sócrates, Wind ou Memina, não sei... Só sei que foi um deles...
Meus cachorrinhos queridos!
------------------
28/05/2004
Cássia Teixeira

publicado por LauraBM às 00:09

11
Jun 05

Balzac.gif Ele chama-se Honoré de Balzac
Levadinho como ele só.
Morde os fios do computador
Fico aborrecida, penso em dar uma palmada,
mas não tenho coragem... e a dor!

Queria para ele um nome bem chic
Pensei no impecável escritor francês
e achei que ele se parecia muito com o tal...
não, não é nada imoral
ele é um yorkshire de bom prez!

Sua irmãzinha, tão miudinha, Pandora
é algo que ele adora,
quando ela vem visitá-lo,
essa casa parece um furacão,
é um rosnar, um latir, uma confusão.

Ele é libriano, nasceu dia 8/10
e como bom octubrino
é alegre, feliz,
sentimentos de raiz,
vive na maciota.

Trouxe muita alegria a esse lar,
paz, tranquilidade,
e vai ser um bom contador de lorota,
porque aqui na minha quadra,
há muitas fêmeas para ele namorar.

Seja bem-vindo, Balzac!
A essa casa que gosta de felicidade.
Passe conosco muitos anos de vida
e nos doe seus carinhos,
sua caridade!
-----------------------
Margaret Pelicano
Brasília - 03/12/2004

publicado por LauraBM às 00:08

10
Jun 05

Gigante_SandraRegina.jpg

É o cão «Gigante» (hihihihihi) da amiga Sandra Regina.

publicado por LauraBM às 00:22

05
Jun 05

Tandy_Marilene.jpg Ninguém pode imaginar o que é ter um Thyrso na vida.
Já disse a ele que não tenho por ele o mesmo amor que ele me dedica e nem assim ele desiste... A todo momento me pede carinho, fico sem meu espaço, sem meu tempo... sufocada....
Eu até que dou o carinho que ele pede !!! mas cansa, porque ele chega a ser "pegajoso". Não me deixa um minuto ! Segue todos os meus passos, onde vou , lá está ele... ao lado, na frente, atrás, sempre me atropelando.
Chego cansada do trabalho e ainda tenho que aceitar seu convite para passear, pois fica me esperando já na porta de casa pronto, todo arrumado e perfumado e além de tudo com presentes pra mim... para parecer irresistível...
E o pior...quando dorme ronca alucinadamente e quando não atendo seus pedidos de carinho, deixa marcas em mim... como explicar aos outros no dia seguinte???
Se quero assistir TV ele não deixa fica chamando atenção pra si até eu me revoltar e dizer... Chega!!! Basta!!! Eu não te quero agora!!!
O nome dele não é Thyrso, mas desde que começou o Big Brother Brasil 2, ninguém mais o chama pelo seu verdadeiro nome! Só de... Thyrso... Thyrso... Thyrsooooooo........
Muitos dos meus amigos que foram virtuais, e hoje são reais, o conhecem porque ele mesmo se apresentou, não teve cerimónia.
Ele é uma mala na minha vida, mas eu o adoro!!! é meu fiel amiguinho!!!
Vou mostrar a vocês quem é ele... O Mala se chama Tandy é o meu cachorrinho.
Um cocker todo pretinho com pedigree à procura de uma noivinha... quem tiver a menina....risos...
--------------------------
Marilene Laurelli Cypriano

publicado por LauraBM às 22:47

10
Mai 05

cao-lev.perna.gifLavei a roupa e estendi
um lençol, bem esticado.
Estes cuidados, evitam
precisar de ser passado.

Fui pendurando outras peças
quando vi algo anormal:
o meu cão cambaleava,
bem debaixo do varal.

Parada, fiquei a ver
se ele estaria doente.
Depressa compreendi;
estava, até, muito contente.

Quase a dois palmos do chão
o meu lençol ondulava.
Não é, que mesmo na beira,
um xixi ele tentava?

Safado do animal!
Quem poderia pensar
que, um lençol, também seria
território a marcar?

hihihihihi  Grande malandro!!!!!!!
--------------------------
17/01/2006
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 17:01

02
Abr 05

Monty-Daisy-quintal.jpgQue bom este nosso quintal para brincar e apanhar sol.

E dá a volta à casa! Baril!!!!!!!!!

publicado por LauraBM às 23:07

05
Mar 05

cao-malhado.jpgNão passe tão indiferente
só porque eu não sou gente,
só porque não sei falar.
Também sou um ser vivente
sinto as dores que você sente,
mas não posso me expressar.

Sou um bicho abandonado,
pela vida maltratado,
quase sempre escorraçado,
até mesmo apedrejado!
Vivo sedento e faminto,
ninguém quer saber o que sinto!

Se fico doente e triste
vejo logo um dedo em riste
E vem a sentença fatal:
- Melhor matar este animal!
- Ele deve estar raivoso!

Para sua comodidade
vive dizendo inverdade
fazendo muita maldade
seu mentiroso
mesmo que esteja raivoso
já foi descoberta a vacina.

Mas para a sua raiva humana
ainda não existe remédio,
nenhuma medicação
com toda sua evolução,
na história da medicina!

Você mata o próprio irmão
faz guerras, assalta,
mata com ou sem razão,
as vezes por ambição
É bem pior que eu!
que chamam de vira-lata!!

Olhe bem pro meu semblante!
- Estou triste, apavorado!
pois, a qualquer instante
posso ser sacrificado!
Mas você não se importa
nem com o seu semblante!

Você sim, está doente, egoísta, indiferente.
Mas se algo ruim lhe acontece
logo lembra que há Deus,
chora, reza e faz prece...
Mas Deus só ajuda
aquele que de todos se compadece.

Lembre-se do que escreveu São Francisco de Assis:
QUEM MALTRATA UM ANIMAL JAMAIS PODERÁ SER FELIZ!
---------------------------------
artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 01:06

05
Fev 05

caofalar_jornal.gifSe Um Cachorro Fosse o Seu Professor

Você aprenderia coisas assim:
Quando alguém que você ama chega em casa, corra ao seu encontro.
Nunca perca uma oportunidade de ir passear de carro.
Permita experimentar o ar fresco do vento no seu rosto.
Quando está a seu favor, pratique a obediência.
Mostre aos outros quando estão invadindo o seu território.
Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice antes de levantar.
Corra, pule e brinque todos os dias.
Tente se dar bem com o próximo e deixe as pessoas te tocarem.
Não morda quando um simples rosnado resolve a situação.
Em dias quentes, pare e role na grama, beba bastante líquidos e deite debaixo da sombra de uma árvore.
Quando você está feliz, dance e balance todo o seu corpo.
Não importa quantas vezes o outro te magoa, não se sinta culpado... volte e faça as pazes novamente.
Aproveite o prazer de uma longa caminhada.
Se alimente com gosto e entusiasmo.
Coma só o suficiente.
Seja leal.
Nunca pretenda ser o que você não é.
Se você quer se deitar debaixo da terra, cave fundo até conseguir.
E o MAIS importante de tudo...
Quando alguém estiver nervoso ou triste, fique em silencio, fique por perto e mostre que você está ali para confortar.

publicado por LauraBM às 00:10

24
Dez 04

criancarezar_cao.jpgEstou admirado com os pedidos que o meu dono faz ao Pai Natal.

 

Pra mim... só quero um osso bem suculento!

O resto, já tenho tudo.

 

Aliás, pensando bem, basta-me o amor deste meu dono que tão bem me trata.

 

Mas um ossinho... será que é pedir muito?

 

Feliz Natal para todos vós!

 

assinado: GULOSO

publicado por LauraBM às 23:37

20
Nov 04

Monty-tosquiasobranc.jpg

O Monty tosquiado é obra d'arte.
Deixámos só a barba; e a sobrancelha
ficou pra ver o mundo, qual chalaça,
por entre os pêlos compridos, meio de esguelha.
Também ficou despida, cada orelha.
A pêra rente; porque é uma desgraça
a beber água, pingando aonde passa.

Abrimos o portão. Logo, correndo,
veio a Daisy que estava no quintal.
Parou, julgou ser novo residente
e, foi cheirando, mais um comensal (?)
Reconheceu o Monty que, afinal,
com a cauda abanando, de contente,
era o seu grande amigo... diferente.

São 2 cachorros em um, no mesmo ano.
E cada um, de mim, tão dependente...
que levam por igual o meu amor.
Mas deixem que lhes diga, e acrescente:
- Satisfeita fiquei, porque era urgente,
deixar o cão mais fresco, no calor.
E o bicho está bem giro. Sem favor!
-------------------------
15/07/2003
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 00:46

15
Nov 04

Monty-horatosquia.jpgJá começou o calor,
está na hora da tosquia.
Monty! Façam-me o favor!
Tanto pêlo é uma agonia!

Mandei tosquiar o cão,
ficou irreconhecível.
O gato, ao ver o ladrão,
achou ser bicho temível.

Pensou que havia mais outro
no hotel da bicharada.
Bufou, saltou que nem potro

mostrou a garra afiada.
Ralhei, peguei num e noutro,
está a discussão sanada!
------------------------------
22/05/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 00:03

10
Nov 04

MontyLauracozinha.jpg

Recolhemos e tratámos um cãozinho,

sempre pensando ir conseguir-lhe um ninho
mais tarde, numa casa onde o amassem.
Nos Multibancos, com anúncios lá colados,
na Internet, em vários sites pesquisados,
não encontrámos uns bons donos que o levassem.

É certo que exigimos um bocado!...
Passaram 5 meses, e o safado
a todos conquistou com sua graça.
Peludo meigo e belo, muito pêlo
ondulado, em madeixas, qual cabelo
comprido, que nos dedos se deslaça.

Bichinho engraçado e atrevido,
senhor do seu nariz e decidido
a monopolizar a sua dona.
Uma boa família o adoptou!
Foi um fim de semana que passou...
e já está de regresso pra ficar.

Aqui todos chorámos sua ausência;
apesar de ir pra perto, a influência
que teve em nossas vidas, foi demais.
A sua companheira, emudeceu.
Daisy, sem companheiro entristeceu.
E dizem que «são apenas animais»(...!)

O Monty não comeu, na outra casa.
Fizeram-lhe de tudo, mas arrasa
ver encolhido ao canto, um animal.
Nem festas ou afagos, brincadeiras,
rações diversas, guloseimas, mil maneiras
para evitarem o uivo gutural.

Temos de volta o nosso Monty, a ladrar;
outra vez juntos e felizes, este lar
acolhe o retornado filho pródigo.
O que aprendemos tem, com certeza, valor;
verdadeira lição de vida, amor...
entre animais e homens, há um código.
-------------------------
25//09/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 16:44

09
Nov 04

Bom... depois do arraso que foi mandar o meu cachorro para novos donos, de ter chorado uma noite insone, de ter pensado ouvir a respiração dele em todo o lado e as suas patinhas na minha cama, com os olhos cravados em mim, para ver se eu acordava...
Ainda com os olhos inchados recebi um telefonema a dizer que ele não se adaptava, nada comia (nem mesmo o que ele mais gostava, chiava muito e suspirava, encolhido a um canto.
Vão, hoje, trazê-lo de volta.

Ele tinha sido encontrado por nós, perdido ou abandonado, faz 5 meses atrás, e trouxemo-lo a pensar arranjar-lhe uns donos, coisa que nunca conseguimos.
Entretanto os laços de carinho foram-se adensando e estávamos mais ou menos inconsoláveis com a sua ausência.
A cadela Daisy está farta de o procurar!... Acho que mesmo o gato, solitário, o procura.

Voltamos ao muito trabalho e despesa que ele dá. Três animais, é bastante, concordem! Ainda para mais que ele é do género de precisar de tosquias, muita escova, muito cuidado com a alimentação por causa do pelo comprido, etc.
Foi coisa de que sempre fugi, confesso. Gosto de animais mais simples.

Seja o que Deus quiser! No fundo estamos felizes de novo!
O melhor mesmo é escrever um poema mais alegre acerca do acontecido e da volta do filho pródigo.
Que tal 'MONTY, o «filho» pródigo'?

Depois do choro de um fim de semana, um sorriso ensolarado.
--------------
25/09/2002
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 17:26

08
Nov 04

Monty_sefeliz.jpg

 

Já não choro por gente, é bem verdade.
Choro por animais, e a saudade
atormenta o meu rosto sofredor.
De cada vez que um animal se vai embora,
os olhos e a alma, tudo chora;
parte-se o coração, vai-se um amor.

A vida encarregou-se de esgotar
todo o amor que eu tinha para dar,
ao ser humano desumano, rancoroso.
Mas sobra-me o amor aos animais,
pois, sem dúvida, merecem muito mais
que o dito ser humano, invejoso.

Sejam felizes, família com novo cão!
Estou certa de ir obter de Deus perdão
por ter o meu peludo afastado.
Estava na rua, abandonado, quando o trouxe.
Tenho a cadela, um gato e... se mais não fosse...
parece o mundo mais equilibrado!
----------------------------
25/09/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 23:32

05
Nov 04

Monty-pel.-c.dono-P.Monty Adeus.jpg

 

O meu cão era um montinho de pêlo.
Apanhei-o na rua e, com desvelo
de mãe, tratei o seu corpinho e alma.
Passaram 5 meses de carinho
enquanto procurei um novo ninho
que o acolhesse, e me deixasse mais calma.

Recusei donos porque sou desconfiada
e tenho a minha «prole» bem tratada,
embora a expressão seja incorrecta.
Até que uma família apareceu:
aos filhos de um divórcio ocorreu
doar amor de uma forma directa.

Falei com todos e pareceu-me bem
que um cão abandonado fosse «alguém»
capaz de às amarguras pôr um fim.
Dois filhos e mãe marginalizados,
engrossavam a lista dos 'mal-amados' (...)
Com um cachorro, o mundo é menos ruim!
-------------------------
20/09/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 22:52

04
Nov 04

Monty_osso.jpgMais uma vez fui vencida
por este meu coração.
Não foi ouvida a razão.
Venceu na guerra do 'não'
a 'manteiga derretida'.

Só um coração de gelo
resistia a tal coisinha,
enrolada e fofinha
na rua, ao canto, que tinha
tudo tapado com pêlo.

Peguei-lhe, sem bem saber
o que era frente e traseira.
Descobri-lhe a dianteira.
Implorei a Deus maneira
de para casa o trazer.

Olhos negros, de abandono,
patinhas d'amor saltaram,
ao peito se aconchegaram,
em mim, lágrimas rolaram.
Mais um cãozinho tem dono.

Abandonado, era o gato...
Abandonada, a cadela...
Já comprei mais uma trela...
A vida ficou mais bela...
De todos eles eu trato.
------------------------------
23/05/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 17:53

02
Nov 04

 

Monty-cabeca.jpg

  

E ele chegou!
Entrando de rompante em nossas vidas,
com feridas bastante doloridas,
obrigando a repensar os valores.

E ele chegou!
Grandes olhos, nariz, bolas tamanhas...
mais parecendo 3 frutos, (as castanhas)...
Mudo! Pedindo pra curarmos suas dores!

E ele chegou!
Num mar de carrapatos e praganas...
que ex-donos, com suas mentes insanas,
descuidaram, ou alguém abandonou.

E ele chegou!
De pêlo sujo, todo emaranhado...
de fome, sede e frio, já causticado...
mas, conta de nós todos, já tomou.
-------------------------
5/10/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 17:07

«MONTY» O dono do blog

Seja feliz, meu amor, lá onde quer que você esteja!

Fique em paz com a minha saudade!

FRASES PARA PENSAR:

'Haverá sempre, em algum lugar, um cão abandonado, que me impedirá de ser feliz...'
Jean Anouilh

Lide com cada situação estressante como um cachorro:
Se não é para comer ou brincar…

faça um xixi nela e vá andando!

============

Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Som ambiente:

(Pode ligar e desligar)
*Antiguidades óptimas
*Algo mais sobre mim
*Meter o nariz no blog
 
subscrever feeds
Contador de Visitas
blogs SAPO