Uma delícia de cãozinho recolhido na rua, maltratado e esfomeado = Viveu connosco entre 3/2002 e 09/2010 ===================== Este blog vai continuar, em homenagem ao Monty (agora c/muita saudade) e aos abençoados vindouros.

10
Set 04

Olá! Eu sou o Monty!
(dantes chamavam-me outro nome, mas eu não digo qual era)
Montypeludo-comerdeitado.JPG
Desculpem nem olhar mas a comidinha é mais importante!

Enquanto lêem eu termino com estes biscoitos saborosos, sim?

Em 22/03/2002, a minha dona viu-me, muito encolhido, com frio e fome, ao fundo da rua onde ela mora.
Era aí por altura das festas de Cabanas, na Igreja de S. Gonçalo.
A  Primavera ainda não tinha chegado e estava frio.

Eu já andava perdido por ali há umas duas semanas, e o meu dono mais novo já me tinha visto algumas vezes.
Eu dormia debaixo da camioneta do sr. Raposo, da loja de materiais de construção e, naquela noite, quando a dona subia a rua, estava uma vizinha a tentar afastar-me com uma mangueira de água.
Dizia que eu ia roubar a comida do cão dela. Mas eu tinha fome e sede!...

A dona pegou-me com carinho, fez-me umas festas, derramou umas lágrimas e levou-me ao colo para casa dela.
Quando lá chegámos, ela deu-me comida, água,  limpou o meu pelo molhado e viu que eu estava cheio de carraças e feridas infectadas.
Tratou-me o melhor que poude e deu-me uma caminha quente, com um bom cobertor e almofada, dentro duma cesta de espuma forrada a tecido e deixou-me na garagem.
Disse que eu não estava capaz de ir para dentro de casa.

No dia seguinte, tratou de me tirar as carraças e levou-me ao veterinário.
Fui tratado, vacinado, e acarinhado.
Ela ainda deixou diversos anúncios nos multibancos e lojas distantes alguns quilómetros, com a minha fotografia, mas ninguém apareceu para me levar.
Se eu soubesse falar diria se tinha donos e onde morava antigamente, mas assim ninguém fica a saber se eu quero voltar ou não.
Ela disse à veterinária que não sabe se eu me perdi ou se me abandonaram e eu, como não falo, jamais lhe direi.

Sei que dei muito trabalho e despesa, mas tento pagar isso tudo com  muito carinho e ando sempre atrás dela (não vá ela desaparecer-me da vista…).
Na casa da dona, que agora também é minha, já estava o gato Floco de Neve, que não é para brincadeiras quando passo dos limites; e tem as unhas afiadas, mas dá umas marradinhas gostosas.
Também cá encontrei a mansarrona da cadela Daisy, uma gorda tamanhona, muito gentil e simpática com um grande defeito: não me deixa montar nela. Ouvi uma conversa sobre qualquer coisa dela ter sido operada para não ter mais ninhadas.
Que chatice! Agora a bicha não quer nada comigo. Também, sou menos de metade dela!...
Contou-me que também estava na rua e a dona trouxe-a cá para casa, há 4 meses.
Aqui vivemos nós, e os três donos. Eles fazem o possível por sermos felizes os 3 – refiro-me a nós, animais.

Temos um quintal bem grande e podemos correr em volta da casa. Tem alguns degraus mas até tem graça. E tem muitas flores e árvores, mas a dona ralha se lá faço chichi.

Sou um chato (mas têm muita paciência para me aturar):
1 - faço chichi em todo o lado – onde devo e não devo
2 - estrago as plantas e salto para todo o lado – a dona já teve que pôr mais 3 redes
3 -– saltei para o quintal dos vizinhos - lá puseram outra rede mais alta…
4 -– estraguei a almofada da dona – realmente… não se faz. Não sei o que me deu!
5 –- quando a dona sai,. faço-lhe chichi na cama – a dona pôs uma tábua na escada para eu não ir ao andar de baixo (mas porque carga d’água é que ela tem que sair e deixar-me…?
6 -– mordi o dono mais novo (quando estou ao colo da dona não gosto que me toquem – ela é toda minha!!!!!
7 -– já rosno menos e estou a habituar-me ao amor dos meus novos donos – eles imaginam que devo ter sofrido muito porque tenho atitudes estranhas. Dizem que os outros cães que eles têm criado de pequeninos nunca foram assim.
Ora! Não somos todos iguais!!!!!

Enfim! Tudo caminha bem.
No Verão mandam tosquiar-me a no Inverno já tenho meu casaco comprido, para me proteger.
A dona comprou uma máquina para me tosquiar porque diz que o meu pelo cresce tanto que ela prefere cortar-mo mais vezes, como ela quer.
Desta vez fiquei muito engraçado, ela cortou-me o pelo e deixou-me uns calções e umas mangas. Também me deixou o pelo das orelhas e rapou o resto da cabeça, menos as minhas ricas sobrancelhas, por causa do sol.

Acham que sou um bocado chato, mas engraçado. Além disso… EU SOU BONITO!
E a dona adora-me! Está sempre a escovar-me!  hihihihihihihi
Ah! se todos os meus amigos tivessem a minha sorte!!!!!!!  Au, au, au……..
--------------------------------
(assinado)
pegadacao_cast.gif
cão Monty

publicado por LauraBM às 02:02

comentários:
Este blog é simplesmente maravilhoso! Parabéns!
Tnia Pereira a 29 de Agosto de 2010 às 12:46

Olá,

Sou o Dandy. Gostei muito de sua história. Quer ser meu amiguinho??

Au-au
Dandy a 1 de Novembro de 2008 às 11:44

gostei muito do seu blog, tenho treze anos e sou de teresina, também adoro cachorros,mas não posso pegálos da rua e colocá-los dentro de casa, mas pode acreditar, se eu for rico quando crescer, minha casa vai ser um tipo de canil de tantos cães que clocarei dentro dela...um beijo para você e seu cachorrinho lindo (para a dayse e o floco de neve tambem)
macelo a 20 de Novembro de 2005 às 18:47

«MONTY» O dono do blog

Seja feliz, meu amor, lá onde quer que você esteja!

Fique em paz com a minha saudade!

FRASES PARA PENSAR:

'Haverá sempre, em algum lugar, um cão abandonado, que me impedirá de ser feliz...'
Jean Anouilh

Lide com cada situação estressante como um cachorro:
Se não é para comer ou brincar…

faça um xixi nela e vá andando!

============

Setembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
16
17

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


*Antiguidades óptimas
*Algo mais sobre mim
*Meter o nariz no blog
 
blogs SAPO