Uma delícia de cãozinho recolhido na rua, maltratado e esfomeado = Viveu connosco entre 3/2002 e 09/2010 ===================== Este blog vai continuar, em homenagem ao Monty (agora c/muita saudade) e aos abençoados vindouros.

10
Out 10

A vida nos prega peças tristes...a morte sempre nos machuca, embora saibamos e entendamos de continuidade, não aceitamos partilhar o nossos amigos e parentes, nisso se inclue o seu cãozinho , parece que falta algo , parece que se foi um pedaço de nós,e de certa maneira, foi mesmo. Sinto muito pela sua dor..e te dizer que estou aqui, se precisar é só gritar...estarei conversando e até teclando contigo.

bjs

mavi lamas

 

Muito obrigada, amiga, vou descansar ou fazer por isso.

É o 4º bichinho que perco para a dor do adormecimento: 2 cães, um gato e uma gata.

Bem sei quanto custa.

Pergunto-me porque não morrem os meus animais de morte natural?...

Talvez eu os ame demasiado e não queira vê-los sofrer.

Talvez eles me amem demasiado, queiram dar-me tempo para a despedida e, por isso mesmo, não morram repentinamente.

Mas a gente não se habitua nuuuuuunca!

Amanhã é outro dia, as lembranças vão ser piores, a saudade vai apertar mas... 6ª feira chega um gatinho, o Lucas!

Mais um abandonado de quem a minha filha tomou conta e vem para cá.

Retornaram à Madeira a cadela labradora Lara e o gato Lucky, para junto da dona.

Ficam a cadelinha Jeka, a pastora alemã Daisy, a gata Lucy e aguardamos o gato Lucas.

Vou dormir e tentar secar este vale de lágrimas e soluços.

Na minha memória ficará o seu carinho, Mavi.

Bjs, amiguinha

Laura B. Martins

 

==================================

 

Tu és mesmo uma brava mulher! Eu não aguento ver isso, nem por hipótese!

Que dizer, minha amiga, senão que entendo completamente teu momento?

Que pena!

Beijos,

Sylvia cohin

 

Minha amiga, se ele viveu comigo tantos anos, 12, se estava cego e mal eu lhe segurava na coleira ele confiava e deixava de apalpar os caminhos, não seria agora no fim que eu iria defraudá-lo e não estar presente no final, para o amparar na passagem para o outro lado.

Foi acompanhado e guiado pelas minhas mãos, ao meu colo e bem junto do meu coração, enquanto lhe falava baixinho (embora ele estivesse meio surdo). Foi junto de mim, com a ternura de quem ele mais amava neste mundo que exalou o último suspiro.

Sempre o veterinário se admira, me diz que é demasiado doloroso e pede para eu os deixar lá ficar e vir embora: sempre recusei e quase me ofendo com tal hipótese.

Não se deixam assim, sozinhos, abandonados, estes seres maravilhosos que foram a nossa companhia e nos amaram sem exigir algo em troca.

Mas ai, como dói!!!!!!!! Como é difícil deixar que os levem do nosso peito para nunca mais os vermos!...

 

Amanhã chega o gato Lucas e vou buscá-lo ao aeroporto. Vem com uma pata magoada e não se sabe o que é, talvez um espinho, sei lá.

Vai directo para o veterinário o ver e medicar.

Pronto, amiga, aqui estão as novidades e a minha gratidão pelas tuas palavras.

Bjs

Laura

 

===========================================

 

Laura querida,

Você já deve estar sabendo que na mesma situação está a Margaret do Lenine.
Conheci o gato, o Mishi. Era gato de uma dona só, olhava pra mim com o maior desprezo, ao contrário dos outros bichanos, que corriam para a minha cama.
Michi dormia com a Margaret, isto por 16 anos.
Então acho que Tadao tem razão, seres vivos, sejam gente ou bicho, trazem alegria mas, se morrem antes da gente, há que se pagar um preço muito alto pela alegria que nos foi proporcionada.

É o preço.
Sinto muito, por você e pela Margaret. Não vou dizer palavras de consolo, é cedo demais pra isso. Apenas, que sinto muito.
 

 

Eu sei o que estou perdendo, mas na minha idade, no meu estado de saúde, não dá mais, a não ser que seja a contragosto.

Ana suzuki

 

Não tenha dúvida, Anica!

É muito amor, muita alegria, muitas gracinhas, muita doçura... mas também é muito trabalho, preocupação, cansaço e desgostos.

Então quando há azares como eu tive com a gatinha Kika, é um drama tremendo.

Há quem não consiga passar sem eles, eu sou uma dessas pessoas.

Se vc consegue e não se sente já capacitada, e também após tantos anos sem eles, não vai ser agora que vai meter-se em trabalhos.

O que há também são pessoas que parecem atrair animais, como é o caso da Margaret. Essas pessoas não podem fugir-lhes, deve ser um condão.

Há muita gente que não os quer porque temem sofrimentos, mas amor traz sofrimento.

Não há como separar amor de dor.

Bjs

Laura

 

============================================

 

Laura querida, você nem faz ideia do quanto compreendo o que você está passando...

Chorei muito ao ler seu desabafo, aliás não tenho feito muita coisa além de chorar, nesta última semana que passou...

Muita dor no coração apesar de ter consciência de ter tomado a decisão mais correcta, e mais humana!!!

Tive que fazer a mesma coisa com meu gato Mishy... companheiro de 16 anos e meio... no dia 17/09

Todos os bichinhos são especiais, mas o Mishy tinha o espírito mais desenvolvido, compreendia tudo o que eu falava, detestava sujeira, fazia com que eu trocasse os lençóis, cobertores dele com maior frequência do que os outros, dormia no meu braço... friorento feito o Lenine, meu segundo despertador.

Ele esperava meu despertador tocar, depois me chamava.

Muita tristeza, Laura querida, compartilho da sua dor...

Margaret

 

É assim a vida, minha amiga Margaret!

Amor também traz muita dor.

É compreender a necessidade de tal atitude por amor ao bichinho, tomar a decisão e levá-los ao veterinário sabendo ao que vão.

Fica parecendo o caminho da guilhotina. Julga que não pensei isso mesmo?

É ter a coragem de ficar com eles no colo enquanto exalam o último suspiro. É uma dor funda, surda, premente. Os soluços que nos estremecem mas ninguém ouve...

Toda a imensa dor de nos apartarmos deles, soltá-los e deixá-los ir, já sem vida... 

Mas ai, como dói!!!!!!!! Como é difícil deixar que os levem do nosso peito para nunca mais os vermos!...

 

Mesmo sabendo que lhes poupámos muito sofrimento, fica uma estranha sensação de dúvida sobre termos feito o mais acertado.

Que direito temos de decidir ceifar uma vida????? Quem nos deu o poder sobre a vida ou a morte?

 

Tenta ficar em paz, minha amiga, e anima o Lenine. Juntos vão ultrapassar mais este transe. Têm outras alminhas a precisarem dos dois donos.

 

Se quiseres, utiliza o meu blog do Kimba ou outro qualquer  para uma última homenagem ao Mishy.

 

Bjs

Laura

 

==========================================

 

Laura querida, não imaginas o quanto agradeço sua oferta. Agradeço principalmente a compreensão.

Acho que tenho tendência (ninguém sabe) depressiva controlada, ainda não consigo falar sobre o Mishy, tenho a sensação de que ele está alí, que vou chegar em casa e ele estará me esperando no portão... essas coisas...

Não consigo nem escrever sem chorar, mas continuo a trabalhar normalmente, na emprêsa e em casa.

Sei que a dor vai passar, mas a saudade vai aumentar e vou chorar todas as vezes que eu falar sobre ele, assim como choro por todos os seres vivos que já perdi...

Sou assim... que remédio...

Margareth

 

Eu estou a passar mais ou menos bem de tão entretida com um novo amor de gatinho, o Lucas.

Foi castrado, depois apanhou uma enorme constipação e assim tenho andado entre casa e veterinário, fechada com ele no quartinho da cave.

Tira colar, põe colar, toma conta da comida, toma conta para integrar com os outros bem devagarinho, etc.

É muito bom porque ajuda bastante.

E como ele é um docinho de meiguice, come muito bem e é muito sossegado, foi óptimo.

 

Sempre aconselhei a quem tem só um que o melhor é, rapidamente, achar um novo companheiro. Resulta sempre!

No seu caso, tendo tantos, não sei como colmatar a dor... mas vai passar e ficar guardada lá bem fundo.

Tem que distribuir tanto amor por tantos... E todos precisam de si, incluindo o Lenine!

Beijos e carinhos, minha amiga de infortúnio e, ao mesmo tempo, de alegrias que ainda podemos proporcionar.

Sua amiga

Laura

 

========================================

 

LAURA! ISSO É TERRÍVEL... PARA A "MAMÃE" HUMANA DO CÃOZINHO!

O SEU MONTY ERA BEM PARECIDO COM O MEU BIDU...

------------------

JANICE

 

É, amiga, põe terrível nisso!

É horroroso e dum sofrimento atroz, mas eu aguento ali firme, com eles nos braços, junto ao peito, até exalarem o último suspiro.

Só depois disso os deixo ir.

Assim, sei que fica mais fácil atravessarem deste mundo para o outro lado, com a voz e a mão da dona a conduzir... não vão perder-se nalgum Limbo e não chegarem ao céu.

Bjs

Laura

 

===================================

 

Olá Laura

Que a recordação dos bons momentos com seu cãozinho, sejam alento para a sua dor.

Como eu compreendo essa dor, quando também o meu carinhoso gatinho Picaxu teve de adormecer, depois de ter muito sofrimento.

Ainda hoje ao almoço falámos dele, como era amoroso quando olhava para nós e quando pressentia que íamos sair ficava tristinho e escondia-se atrás do sofá da sala, que ficava fechada e ele queria lá ficar.

Um abraço amiga e força ,lá no céu dos animaizinhos, eles os nossos queridos, já se conheceram e estarão felizes a brincar.

Um bj

Marizé

 

Muito obrigada, minha amiga Marizé!

São transes muito difíceis de passar.

A vida não se compadece destes dramas de cada um de nós e segue em frente, mas a gente nunca esquece os companheiros amados.

 

Amanhã chega o gato Lucas e vou buscá-lo ao aeroporto. Vem com uma pata magoada e não se sabe o que é, talvez um espinho, sei lá.

Vai directo para o veterinário o ver e medicar.

Já vai dar que fazer e obrigar a não pensar no querido Monty. Foram muitos anos e ele era a minha sombra, sempre atrás de mim.

Mesmo sem ver, pelo faro me procurava e lá aparecia junto de mim, estivesse eu onde estivesse, de repente lá estava ele deitado junto.

Vou parar de escrever porque as lágrimas já ameaçam, e os olhos estão uns trambolhos.

Obrigada pelo carinho

Bjs

Laura

 

==================================

 

Estou a chorar, como vocês dizem... e não estou chorando...como aqui falamos.

Consola saber que o Monty, como o meu Juquinha, tiveram uma boa vida, carinho, casa, comida e tudo que muitos humanos não têm...

Que ele fique em paz onde estiver... Irá se encontrar com o meu Juca...

bjs de sua amiga regin@

 

=========================================

 

Do meu amigo Ivo Lourenço, dos Açores, veio um consolo em forma de desespero, não só pelo meu cãozinho, como pelo cãozinho dele que está muito envelhecido e se teme o desfecho.

 

=====================================

 

E, por último, da minha amiga brasileira Jacqueline, que disse tanto, mas tanto, que o consolo dela nem caberia aqui no blog. Obrigada, minha amiga!

Obrigada, meus amigos!

-------------------------------

Laura

publicado por LauraBM às 02:59

comentário:
Adeus branquinho meu amigo
Anónimo a 15 de Janeiro de 2015 às 01:47

«MONTY» O dono do blog

Seja feliz, meu amor, lá onde quer que você esteja!

Fique em paz com a minha saudade!

FRASES PARA PENSAR:

'Haverá sempre, em algum lugar, um cão abandonado, que me impedirá de ser feliz...'
Jean Anouilh

Lide com cada situação estressante como um cachorro:
Se não é para comer ou brincar…

faça um xixi nela e vá andando!

============

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


*Antiguidades óptimas
*Algo mais sobre mim
*Meter o nariz no blog
 
blogs SAPO