Uma delícia de cãozinho recolhido na rua, maltratado e esfomeado = Viveu connosco entre 3/2002 e 09/2010 ===================== Este blog vai continuar, em homenagem ao Monty (agora c/muita saudade) e aos abençoados vindouros.

25
Dez 10

 

Algures no céu, a celebrar o Natal de 2010 que já não passou entre nós, encontra-se o meu amado cão Monty.

Cuide de mim e faça-me companhia mais uma vez, nesta noite tão especial.

publicado por LauraBM às 19:58

15
Nov 10

 

(última fotografia do Monty – deixou-nos em 22/09/2010)

 

É sempre triste a separação dos amigos,

ainda mais se forem anos de convívio.

A dor da ausência ao reviver tempos antigos,

não deixa nas recordações alívio.

 

Foi-se o meu lindo cão, acarinhado.

Perdi-o numa tarde de tristeza.

O cão Monty, reguila, está parado!

Nas minhas mãos só um vazio que me pesa.

 

Coisas que faltam e ficam por dizer

neste soneto, já por demais sofrido,

é a saudade a chorar quase sem querer,

 

um grande amor da minha vida excluído.

Só um poeta é capaz de avaliar

como se escreve de coração a sangrar.

-------------------------------

25/10/2010

Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 21:55

12
Mai 10

Foi muito triste ver o Monty, pouco a pouco,

perder a faculdade da visão.

Ao mesmo tempo, a ficar um tanto mouco,

exige cada vez mais atenção.

 

Com a idade, os problemas se avolumam;

padecem como nós, isso eu já vi.

Como as pessoas, também eles se acostumam

ao que lhes traz a vida, ao «p.d.i.»

 

Pra disfarçar, deixo-lhe a franja mais comprida;

assim, dos olhos, nem se vê o esbranquiçado.

Com ele atrás, é como faço a minha lida;

 

sempre me encontra, sente-se bem ao meu lado.

Exige muito, esta presença tão querida.

Amigo velho, tem que ser muito cuidado!

----------------------------

10/07/2010

Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 23:33

10
Mai 10

Monty_juntopc.jpg 

 

Tem sido tão difícil descrever,
do Monty, a total perda da visão.
Quantas vezes tentei e, sem saber
como fazê-lo, só chorei pelo meu cão.

Foi vendo, cada dia, um pouco menos;
nos encontrões e tropeços reparamos.
Dos donos não vê, agora, os acenos
mas vem, com calma, sempre que o chamamos.

Conhece bem a casa e o quintal,
cada degrau e cada porta, não se engana.
A quem não sabe até parece natural,

fareja tudo e a linda cauda abana.
Tem 62 anos, é normal?!?!?!
A vida pode ser bem desumana.
-------------------------------
12/01/2009
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 22:52

10
Mai 07

Montyportao.jpg

Hoje veio cedo, o correio, e apitou
à minha porta. Queria uma assinatura.
Ele chegou numa mota estrepitosa
e capacete negro. Que figura!

Dentro de casa gritei que já lá ia,
tentei sair a porta, apressada;
mas o Monty ladrava à minha frente
e no seu corpo eu sempre tropeçava.

Empurrei-o, saí para o jardim,
mas a cena era a mesma e progredia:
ameaçava, a voz do animal,
entre os meus pés a ladrar se metia.

Peguei-lhe ao colo, ao portão me dirigi
mas, ele, esganiçado e a tremer,
numa fúria peluda transformado,
no assustado carteiro quis morder.

Então apercebi-me, num repente,
ao ver o figurão com tal tamanho,
que o Monty só queria proteger-me
do monstro que apitava, um tanto estranho.

É assim o pequeno amigo Monty;
sempre alerta, aos meus pés ou ao meu lado.
Só um cão estará disposto a proteger
o dono, mesmo que aterrorizado!
------------------------------
11/12/2006
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 16:37

10
Mai 05

cao-lev.perna.gifLavei a roupa e estendi
um lençol, bem esticado.
Estes cuidados, evitam
precisar de ser passado.

Fui pendurando outras peças
quando vi algo anormal:
o meu cão cambaleava,
bem debaixo do varal.

Parada, fiquei a ver
se ele estaria doente.
Depressa compreendi;
estava, até, muito contente.

Quase a dois palmos do chão
o meu lençol ondulava.
Não é, que mesmo na beira,
um xixi ele tentava?

Safado do animal!
Quem poderia pensar
que, um lençol, também seria
território a marcar?

hihihihihi  Grande malandro!!!!!!!
--------------------------
17/01/2006
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 17:01

20
Nov 04

Monty-tosquiasobranc.jpg

O Monty tosquiado é obra d'arte.
Deixámos só a barba; e a sobrancelha
ficou pra ver o mundo, qual chalaça,
por entre os pêlos compridos, meio de esguelha.
Também ficou despida, cada orelha.
A pêra rente; porque é uma desgraça
a beber água, pingando aonde passa.

Abrimos o portão. Logo, correndo,
veio a Daisy que estava no quintal.
Parou, julgou ser novo residente
e, foi cheirando, mais um comensal (?)
Reconheceu o Monty que, afinal,
com a cauda abanando, de contente,
era o seu grande amigo... diferente.

São 2 cachorros em um, no mesmo ano.
E cada um, de mim, tão dependente...
que levam por igual o meu amor.
Mas deixem que lhes diga, e acrescente:
- Satisfeita fiquei, porque era urgente,
deixar o cão mais fresco, no calor.
E o bicho está bem giro. Sem favor!
-------------------------
15/07/2003
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 00:46

15
Nov 04

Monty-horatosquia.jpgJá começou o calor,
está na hora da tosquia.
Monty! Façam-me o favor!
Tanto pêlo é uma agonia!

Mandei tosquiar o cão,
ficou irreconhecível.
O gato, ao ver o ladrão,
achou ser bicho temível.

Pensou que havia mais outro
no hotel da bicharada.
Bufou, saltou que nem potro

mostrou a garra afiada.
Ralhei, peguei num e noutro,
está a discussão sanada!
------------------------------
22/05/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 00:03

10
Nov 04

MontyLauracozinha.jpg

Recolhemos e tratámos um cãozinho,

sempre pensando ir conseguir-lhe um ninho
mais tarde, numa casa onde o amassem.
Nos Multibancos, com anúncios lá colados,
na Internet, em vários sites pesquisados,
não encontrámos uns bons donos que o levassem.

É certo que exigimos um bocado!...
Passaram 5 meses, e o safado
a todos conquistou com sua graça.
Peludo meigo e belo, muito pêlo
ondulado, em madeixas, qual cabelo
comprido, que nos dedos se deslaça.

Bichinho engraçado e atrevido,
senhor do seu nariz e decidido
a monopolizar a sua dona.
Uma boa família o adoptou!
Foi um fim de semana que passou...
e já está de regresso pra ficar.

Aqui todos chorámos sua ausência;
apesar de ir pra perto, a influência
que teve em nossas vidas, foi demais.
A sua companheira, emudeceu.
Daisy, sem companheiro entristeceu.
E dizem que «são apenas animais»(...!)

O Monty não comeu, na outra casa.
Fizeram-lhe de tudo, mas arrasa
ver encolhido ao canto, um animal.
Nem festas ou afagos, brincadeiras,
rações diversas, guloseimas, mil maneiras
para evitarem o uivo gutural.

Temos de volta o nosso Monty, a ladrar;
outra vez juntos e felizes, este lar
acolhe o retornado filho pródigo.
O que aprendemos tem, com certeza, valor;
verdadeira lição de vida, amor...
entre animais e homens, há um código.
-------------------------
25//09/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 16:44

09
Nov 04

Bom... depois do arraso que foi mandar o meu cachorro para novos donos, de ter chorado uma noite insone, de ter pensado ouvir a respiração dele em todo o lado e as suas patinhas na minha cama, com os olhos cravados em mim, para ver se eu acordava...
Ainda com os olhos inchados recebi um telefonema a dizer que ele não se adaptava, nada comia (nem mesmo o que ele mais gostava, chiava muito e suspirava, encolhido a um canto.
Vão, hoje, trazê-lo de volta.

Ele tinha sido encontrado por nós, perdido ou abandonado, faz 5 meses atrás, e trouxemo-lo a pensar arranjar-lhe uns donos, coisa que nunca conseguimos.
Entretanto os laços de carinho foram-se adensando e estávamos mais ou menos inconsoláveis com a sua ausência.
A cadela Daisy está farta de o procurar!... Acho que mesmo o gato, solitário, o procura.

Voltamos ao muito trabalho e despesa que ele dá. Três animais, é bastante, concordem! Ainda para mais que ele é do género de precisar de tosquias, muita escova, muito cuidado com a alimentação por causa do pelo comprido, etc.
Foi coisa de que sempre fugi, confesso. Gosto de animais mais simples.

Seja o que Deus quiser! No fundo estamos felizes de novo!
O melhor mesmo é escrever um poema mais alegre acerca do acontecido e da volta do filho pródigo.
Que tal 'MONTY, o «filho» pródigo'?

Depois do choro de um fim de semana, um sorriso ensolarado.
--------------
25/09/2002
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 17:26

08
Nov 04

Monty_sefeliz.jpg

 

Já não choro por gente, é bem verdade.
Choro por animais, e a saudade
atormenta o meu rosto sofredor.
De cada vez que um animal se vai embora,
os olhos e a alma, tudo chora;
parte-se o coração, vai-se um amor.

A vida encarregou-se de esgotar
todo o amor que eu tinha para dar,
ao ser humano desumano, rancoroso.
Mas sobra-me o amor aos animais,
pois, sem dúvida, merecem muito mais
que o dito ser humano, invejoso.

Sejam felizes, família com novo cão!
Estou certa de ir obter de Deus perdão
por ter o meu peludo afastado.
Estava na rua, abandonado, quando o trouxe.
Tenho a cadela, um gato e... se mais não fosse...
parece o mundo mais equilibrado!
----------------------------
25/09/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 23:32

05
Nov 04

Monty-pel.-c.dono-P.Monty Adeus.jpg

 

O meu cão era um montinho de pêlo.
Apanhei-o na rua e, com desvelo
de mãe, tratei o seu corpinho e alma.
Passaram 5 meses de carinho
enquanto procurei um novo ninho
que o acolhesse, e me deixasse mais calma.

Recusei donos porque sou desconfiada
e tenho a minha «prole» bem tratada,
embora a expressão seja incorrecta.
Até que uma família apareceu:
aos filhos de um divórcio ocorreu
doar amor de uma forma directa.

Falei com todos e pareceu-me bem
que um cão abandonado fosse «alguém»
capaz de às amarguras pôr um fim.
Dois filhos e mãe marginalizados,
engrossavam a lista dos 'mal-amados' (...)
Com um cachorro, o mundo é menos ruim!
-------------------------
20/09/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 22:52

04
Nov 04

Monty_osso.jpgMais uma vez fui vencida
por este meu coração.
Não foi ouvida a razão.
Venceu na guerra do 'não'
a 'manteiga derretida'.

Só um coração de gelo
resistia a tal coisinha,
enrolada e fofinha
na rua, ao canto, que tinha
tudo tapado com pêlo.

Peguei-lhe, sem bem saber
o que era frente e traseira.
Descobri-lhe a dianteira.
Implorei a Deus maneira
de para casa o trazer.

Olhos negros, de abandono,
patinhas d'amor saltaram,
ao peito se aconchegaram,
em mim, lágrimas rolaram.
Mais um cãozinho tem dono.

Abandonado, era o gato...
Abandonada, a cadela...
Já comprei mais uma trela...
A vida ficou mais bela...
De todos eles eu trato.
------------------------------
23/05/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 17:53

02
Nov 04

 

Monty-cabeca.jpg

  

E ele chegou!
Entrando de rompante em nossas vidas,
com feridas bastante doloridas,
obrigando a repensar os valores.

E ele chegou!
Grandes olhos, nariz, bolas tamanhas...
mais parecendo 3 frutos, (as castanhas)...
Mudo! Pedindo pra curarmos suas dores!

E ele chegou!
Num mar de carrapatos e praganas...
que ex-donos, com suas mentes insanas,
descuidaram, ou alguém abandonou.

E ele chegou!
De pêlo sujo, todo emaranhado...
de fome, sede e frio, já causticado...
mas, conta de nós todos, já tomou.
-------------------------
5/10/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores n.º 20958

publicado por LauraBM às 17:07

10
Out 04

Monty, no dia seguinte em que foi trazido para n/casa, em, 22/04/2002.
Ainda com o pêlo sujo e maltratado, cheio de pulgas, carraças, e feridas infectadas de praganas espetadas na pele.
(praganas - nome dado aos pedaços das espigas que se espetam na roupa ou na pele)

 

Monty-mont.pelo-dormir.jpgAchei um monte de pêlo
cor de mel, tons de camurça;
fiquei pior que uma ursa...
quis, para casa, trazê-lo.
A família resmungou,
pois bem conhecem a peça;
pegar-lhe, era uma promessa...
Eles sabem como eu sou!

Fui andando, de mansinho,
o coração apertado,
vendo quão mau era o estado
daquele lindo cãozinho.
Era noite, estava frio...
enroladinho, só pêlo
ondulado, qual cabelo...
Dentro, senti um vazio!

Fiz-lhe uma festa, peguei
ao colo, aquela coisinha,
colou-se-me, apertadinha...
Enternecida fiquei!
As patas no meu pescoço
abraçou-me, e ao ouvido,
confessou-me estar perdido...
Não ter comida, nem osso!

Bichinho, não se abandona!
- disse-me ele, com meiguice.
Que não ia dar chatice,
se eu quisesse ser a dona.
Só pedia que eu tirasse
as carraças e praganas.
Jurou não subir pràs camas...
Pediu-me que o ajudasse.

Prometeu ser comportado...
Não fazer chichi nas flores...
Dar-me carinhos, amores...
e viver sempre ao meu lado!
Aceitei entusiasmada,
(gosto de animal de colo);
gato é arisco, não tolo,
e a cadela é pesada.

Há promessas não cumpridas,
(qual político safado)...
Faz chichi em todo o lado,
até encher-me as medidas.
Aceitaram o intruso,
gato Flo, Daisy cadela;
Monty, cãozinho de trela,
é tudo dele... Um abuso!
-------------------------
22/05/2002
Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 01:39

«MONTY» O dono do blog

Seja feliz, meu amor, lá onde quer que você esteja!

Fique em paz com a minha saudade!

FRASES PARA PENSAR:

'Haverá sempre, em algum lugar, um cão abandonado, que me impedirá de ser feliz...'
Jean Anouilh

Lide com cada situação estressante como um cachorro:
Se não é para comer ou brincar…

faça um xixi nela e vá andando!

============

Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


*Antiguidades óptimas
*Algo mais sobre mim
*Meter o nariz no blog
 
blogs SAPO